Menu
Busca quarta, 30 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
40ºmax
23ºmin
Pecuária

Boi gordo segue em baixa e poder aquisitivo do pecuarista piora

14 março 2012 - 00h57Por SCOT CONSULTORIA

 O mercado do boi gordo segue com cotações pressionadas para baixo na maior parte das regiões pesquisadas pela Scot Consultoria. De acordo com levantamento da empresa, os negócios em São Paulo ocorrem em torno de R$ 94,50 a arroba, à vista, livre de imposto.

Na região, as escalas atendem a cerca de três dias, na maioria dos casos. Existem ofertas de compra desde R$ 91,00 até R$ 96,00, à vista. Em outras praças, a pressão de baixa causou queda no volume de negócios entre o final da última semana e o início desta, provocando uma ligeira valorização.

A oferta de fêmeas, de maneira geral, está boa. Do lado do consumo, o mercado atacadista com osso está com pouca movimentação. Para os próximos dias não são esperadas recuperações de consumo, devido ao período do mês.

Relação de troca com o milho piorou 3,3% em relação a março do ano passado

O preço do milho ficou praticamente estável em março na comparação com fevereiro. Segundo levantamento, a tonelada do alimento está cotada em R$ 504,56 (preço médio) em São Paulo. Na região, são necessárias 5,2 arrobas de boi gordo para a compra de uma tonelada de milho.

A relação de troca está mais difícil nos últimos meses com a queda de preço do animal terminado. Em relação a março do ano passado, o poder de compra do pecuarista caiu 3,3%.

Em curto e médio prazos, a maior disponibilidade interna de milho deve pressionar para baixo as cotações. É preciso considerar ainda o aumento previsto na área plantada e produção de milho safrinha.