Menu
Busca sexta, 30 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
24ºmax
18ºmin
Pecuária

A Venezuela é a vilã do controle da febre aftosa e risco para pecuária brasileira

18 dezembro 2009 - 00h00Por Globo Rural

Se passar a fazer parte do Mercosul (Mercado Comum Sul), a Venezuela irá “sujar” o bloco comercial sul-americano. Essa é a opinião de Sebastião Costa Guedes, presidente do Conselho Nacional de Pecuária de Corte, que visitou a redação da revista Globo Rural nesta quarta-feira (16/12).

Segundo Guedes, a Venezuela não faz um bom controle de febre aftosa no rebanho, e sua entrada no Mercosul pode comprometer o trabalho de erradicação da doença nos outros países sul-americanos. “Hoje, a Venezuela é a vilã do controle da febre aftosa”, disse. Essa deficiência, segundo o pecuarista, já afetou o rebanho da Colômbia, que, apesar do bom programa de controle, teve sete focos da doença na fronteira com o território venezuelano. “Para o Brasil se ver livre de aftosa, todos os países vizinhos precisam estar livres também”, disse.

Na última terça-feira (15/12), o Senado brasileiro aprovou o ingresso da Venezuela no Mercosul. A decisão deverá agora ser votada pelo Congresso, mas ainda não há data marcada. Argentina e Uruguai já aprovaram a entrada do país no bloco comercial. Falta também a decisão do Paraguai, que ainda não tem previsão de quando levará a proposta a votação.

“Temos que contar com o apoio do presidente Lula para convencer Hugo Chávez a adotar um programa de erradicação da aftosa”, disse o presidente do Conselho Nacional de Pecuária de Corte.