Menu
Busca terça, 29 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
37ºmax
20ºmin
Notícias

Valor Bruto da Produção deve crescer quase 11% em 2011 no Brasil

16 setembro 2011 - 12h25Por Globo Rural
Valor Bruto da Produção deve crescer quase 11% em 2011 no Brasil

O Valor Bruto da Produção (VBP) das 20 principais lavouras do Brasil atingiu R$ 201 bilhões em 2011. Esse é o maior valor já obtido desde que a série de estimativas começou a ser feita em 1997. Segundo José Garcia Gasques, coordenador de Planejamento Estratégico do Ministério da Agricultura, e responsável pelo levantamento, os últimos três anos apresentam um crescimento sem interrupção no faturamento das lavouras. Com isso, os valores de 2011 foram 10,8% maiores que em 2010, quando o VBP chegou a R$ 181,4 bilhões.

Entre as principais culturas, os maiores aumentos reais no VBP ocorreram em algodão (88,7%), café (36,2%), uva (45,7%), milho (28,9%) e soja (14,5%). No caso de cebola, batata inglesa e trigo, os resultados da renda em 2011 são inferiores aos de 2010. A cebola, com VBP de R$ 787 milhões, teve redução de 61%; a batata inglesa, com queda de 25,66%, alcançou R$ 2,9 bilhões; e o trigo em grão teve baixa de 20,56%, atingindo faturamento bruto de R$ 2,1 bilhões em 2011. Segundo José Gasques, a redução de valor para esses produtos é resultado de safras mais baixas em relação a 2010 e, principalmente, de elevadas reduções dos preços ao produtor.

Faturamento por região


A pesquisa indica aumento expressivo do VBP no Nordeste (17,6%) e Centro-Oeste (37,1%) do país. Nas duas regiões, os resultados favoráveis se devem ao bom desempenho do milho, da soja e do algodão. No Sudeste e Sul do país, os resultados foram estáveis, com o Sudeste mantendo 1,6% de crescimento e o Sul, 7%. No Norte, há uma tendência de redução do valor.

No Nordeste, em alguns estados como Bahia, que teve crescimento de 16,6%, os resultados favoráveis foram influenciados pelo aumento do VBP do café, da laranja e da banana. No Centro-Oeste, todos os estados apresentaram resultados positivos, com destaque para Mato Grosso, que teve 52% de crescimento no valor da produção.