Menu
Busca quinta, 22 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
33ºmax
22ºmin
Notícias

Soja da BASF e da Embrapa recebe aprovação para cultivo comercial no Brasil

05 fevereiro 2010 - 00h00Por Agrolink

A soja tolerante a herbicidas desenvolvida pela BASF em parceria com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), foi aprovada pela CTNBio – Comissão Técnica Nacional de Biossegurança, em 10/12/2009. A comissão considerou que soja tolerante a herbicidas atende as normas e a lei de biossegurança para o meio ambiente, a agricultura, bem como a saúde humana e animal. A decisão permitirá que a BASF e a Embrapa levem o novo sistema de produção, com o nome comercial de Cultivance®, aos agricultores brasileiros. As empresas estão buscando a aprovação desta tecnologia em diversos países compradores da soja brasileira, tais como China e Estados Unidos.

Cultivance® e é o primeiro cultivo geneticamente modificado, desenvolvido no Brasil, desde o laboratório até a comercialização. A aprovação é fruto de mais de 10 anos da cooperação bem-sucedida entre a Embrapa e a BASF, líder mundial no fornecimento de soluções agrícolas. O Sistema de Produção Cultivance® combina variedades de soja tolerantes a herbicidas com herbicida de amplo espectro da BASF, da classe das imidazolinonas, feito sob medida para as condições regionais.

“A aprovação marca uma nova era para as atividades de biotecnologia da BASF. É o primeiro produto BASF geneticamente modificado a receber aprovação para o cultivo comercial,”, afirma Walter Dissinger, vice-presidente da divisão de Proteção de Cultivos da BASF para a América Latina. “Nossa estratégia em biotecnologia vegetal é colaborar com os melhores parceiros para disponibilizar nossa capacidade inovadora em desenvolver e oferecer genes de grande importância para a agricultura. Graças a esta parceria público-privada de sucesso, os produtores se beneficiarão do melhor controle de plantas daninhas com menos insumos, resultando em maior produtividade agrícola.”

"A aprovação da soja Cultivance®, a primeira geneticamente modificada desenvolvida no Brasil, representa a capacidade do nosso país na área de biotecnologia agrícola. Estamos mostrando ao mundo que podemos gerar inovações. A Embrapa adota diversas tecnologias em pesquisas. E a biotecnologia, aplicada de acordo com os princípios da sustentabilidade, traz resultados de suma importância para a sociedade. Permite que agricultores brasileiros tenham acesso a alternativas tecnológicas avançadas, com ganhos econômicos, e sejam mais eficientes em manter a base de recursos naturais”, diz Pedro Arraes, diretor-presidente da Embrapa.

A tecnologia Cultivance® oferecerá aos agricultores um novo sistema de controle capaz de gerenciar, de maneira eficaz, um grande número de plantas daninhas. Desenvolvido para ser aplicado pós-emergência, o herbicida do Sistema de Produção Cultivance® proporcionará aos agricultores conveniência e flexibilidade de aplicar o herbicida, como necessário, para o controle de plantas daninhas durante as primeiras semanas de crescimento da cultura. Uma única aplicação proporciona controle de longa duração de ambas – folhas largas e gramíneas -, incluindo aquelas de difícil controle. Os agricultores também se beneficiarão de experiência logística e ambiental. Poucas aplicações do herbicida por hectare reduzirão o uso de máquinas e mão-de-obra, assim como serão reduzidos os custos para agricultores, e emissão de CO2 ao meio ambiente.

O lançamento do Sistema de Produção Cultivance® será feito no Brasil a partir da safra 2011/2012. Adicionalmente, existe um grande interesse no desenvolvimento desta tecnologia ajustada para as necessidades locais dos países vizinhos na América Latina, incluindo a Argentina, a Bolívia e o Paraguai. As empresas parceiras estão trabalhando para atender aos requisitos de autoridades regulatórias nestes países e a aprovação pode ser obtida em dois anos, após o lançamento no mercado brasileiro.

Os parceiros acreditam que a biotecnologia vegetal é estratégica para o desenvolvimento de soluções inovadoras aos agricultores, no século 21, o que permitirá o avanço da agricultura sustentável mundialmente. As informações são de assessoria de imprensa.