Menu
Busca terça, 23 de abril de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
24º
BOI GORDO

Segunda-feira foi morna no mercado brasileiro

Em São Paulo, o preço do macho destinado ao mercado interno recuou R$ 2/@ e bateu em R$ 283/@

27 setembro 2022 - 07h39Por DBO Rural

Nesta última semana de setembro, o mercado brasileiro do boi gordo manteve o ritmo fraco de negociações observado nas semanas anteriores, informaram nesta segunda-feira (26/9) as consultorias que acompanham diariamente o setor pecuário.

Nas praças do interior paulista, segundo apuração da Scot, o valor do animal macho terminado “comum”, destinado ao mercado interno, teve recuo de R$ 2/@ neste primeiro dia da semana, atingindo R$ 283/@, preço bruto, no prazo.

Por sua vez, a cotação do boi-China, abatido com até 30 meses, registrou queda de R$ 5/@, batendo R$ 290/@ na praça paulista (preço bruto e a prazo), informa a Scot. Os preços da vaca e da novilha gordas ficaram estáveis em São Paulo, a R$ 270/@ e R$ 280/@, respectivamente (preços brutos e a prazo), segundo os dados da Scot.

Nesta segunda-feira, apesar do ambiente de baixa liquidez, a IHS Markit captou ajustes negativos nos preços do boi gordo na região Norte do País, um reflexo do baixo apetite de compra por parte dos frigoríficos locais. Em Paragominas (PA), o preço da arroba do boi gordo recuou de R$ 275 para R$ 270.

Em relação às demais regiões pecuárias, a segunda-feira foi de estabilidade nas cotações da arroba, de acordo com o levantamento diário da equipe da IHS Markit. Segundo a consultoria, a retomada do período de chuvas, que começa a gerar melhores condições ao desenvolvimento do pasto, trouxe maior ânimo aos produtores.

“No curto prazo, cresce a possibilidade de retenção de lotes de animais no pasto, à espera de ajustes positivos na arroba”, dizem os analistas. Porém, as atenções seguem voltadas para os últimos meses do ano.

“Feriados prolongados, festas de fim de ano, período de eleições e Copa do Mundo de Futebol entram no radar do mercado”, relata a IHS, que acrescenta: “Há esperança em relação à retomada do consumo doméstico da proteína bovina”.

No entanto, neste fim de mês, o escoamento da carne bovina segue bastante devagar no atacado/varejo. Segundo a Scot, nesta segunda-feira, a carcaça casada de bovinos castrados registrou recuo 1,5%, para R$ 18,22/kg, em relação ao preço da semana anterior.

A carcaça do bovino inteiro está precificada em R$ 17,64/kg, retração de 2,3% sobre o preço da semana anterior. “Os preços da carne bovina devem continuar pressionados ao longo desta semana”, acredita a Scot.