Menu
Busca quinta, 25 de abril de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
28º
BEZERROS

Paradeira total no mercado brasileiro de reposição

Os recriadores e invernistas seguem receosos quanto ao futuro incerto no mercado do boi gordo, portanto, poucos negócios foram reportados

19 setembro 2022 - 09h22Por DBO Rural

O ambiente de poucos negócios no mercado brasileiro de reposição – que se arrasta há semanas – continua, informa a zootecnista Thayná Drugowick, analista de mercado da Scot Consultoria. “Os recriadores e invernistas seguem receosos quanto ao futuro incerto no mercado do boi gordo, portanto, poucos negócios foram reportados durante a semana”, reforça a analista.

No comparativo semanal, considerando a média de todas as categorias de machos e fêmeas anelorados monitorados pela Scot Consultoria, as cotações tiveram um ligeiro incremento de 0,5%. Embora o momento seja de baixa qualidade das pastagens, devido ao período seco do ano, foi observado uma maior procura das categorias mais jovens.

Os preços do bezerro e bezerra de desmama, por exemplo, tiveram alta de 1,0% e 0,8%, respectivamente, nos últimos sete dias, compara a Scot. Para o curto prazo, o mercado do boi gordo deve continuar ditando o ritmo na reposição. “Apesar do cenário pouco animador, é importante ficar atento às oportunidades”, recomenda Thayná.

Segundo apuração da IHS Markit, o fluxo de comercialização de animais no mercado de gado de reposição ainda vem apresentando inconsistência em função do descompasso entre oferta e demanda. “Embora a liquidez de negócio tenha registrado recuperação entre algumas praças pecuárias para algumas categorias, o volume de negócios ainda não é suficiente para desencadear altas mais significativas nos preços da reposição”, relatam os analistas da IHS Markit.

Os patamares atuais de preços praticados na reposição continuam muito aquém daqueles observados em igual período do ano passado. Tal fato vem estimulando compradores a se planejar para 2023, com a aquisições de bezerrada de ano entre algumas praças em função da vantajosa relação de troca. “Mas esses repiques de negócios não chegam a oferecer suporte a altas mais consistentes nos preços”, ressalta a IHS.

Entre as praças da região Sudeste do Brasil, destaque para firmeza dos preços do bezerro no interior paulista, bem como para algumas categorias de fêmeas. “Atualmente, no mercado físico de São Paulo, pagasse valores remuneradores na novilha, em alguns casos quase alinhados aos valores do macho terminado”, informa a IHS.

Em Minas Gerais, durante esta semana, a liquidez foi suficiente apenas para minimizar quedas mais expressivas nos preços dos animais de reposição. No Centro-Oeste, os preços dos animais jovens (não-terminados) voltaram a recuar em algumas praças, como em regiões do Mato Grosso do Sul e de Goiás, informa a IHS, acrescentando que esse viés de baixo reflete a fragilidade nas cotações da boiada gorda.

No Mato Grosso, a ocorrência das primeiras chuvas começa a estimular alguns negócios, mas sem grandes altas na formação dos preços, relata a IHS. Nas demais regiões do Brasil, o mercado de reposição ainda avança de forma cadenciada, com a oferta maior que a demanda vigente.