Menu
Busca quinta, 25 de abril de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
30º
Mercado

Negócios no mercado brasileiro de reposição ainda seguem em ritmo lento

Na região Sudeste, os preços dos animais ensaiaram uma tímida recuperação, em função das recentes altas nas cotações da arroba no mercado físico do boi gordo, informa a IHS Markit

28 novembro 2022 - 09h25Por Portal DBO
Negócios no mercado brasileiro de reposição ainda seguem em ritmo lento

Como um repeteco da semana anterior, o volume de negócios no mercado brasileiro de gado para reposição seguiu evoluindo paulatinamente ao longo desta semana, informam as consultorias que acompanham diariamente o setor pecuário.

“A liquidez continua amparada pela concessão nos preços oferecidos nos leilões”, observa a IHS Markit, que completa: “O descompasso entre oferta e demanda de animais acaba favorecendo a ponta compradora, que consegue barganhar preços menores pela boiada magra”.

A relação de troca segue favorável aos pecuaristas recriadores e invernistas, enquanto as condições climáticas na faixa Centro-Sul do Brasil têm colaborado para o bom desenvolvimento das pastagens, relata a IHS.

Porém, lembra a consultoria, o atual período de vacinação de contra aftosa limita a ocorrência de leilões.

Na região Centro-Oeste, os preços da reposição se mostraram um pouco mais fragilizados para algumas categorias, observa a IHS.

Nas praças do Mato Grosso do Sul e de Goiás, as cotações das fêmeas recuaram ao longo desta semana, sobretudo para bezerras.

Em relação aos machos, os lotes de animais mais pesados, com mais de 10 arrobas, registraram preços aparentemente mais firmes em função de repiques de negócios registrados nas praças locais (do Centro-Oeste).

Na região Sudeste, os preços dos animais de reposição ensaiaram uma tímida recuperação, em função das recentes altas nas cotações da arroba no mercado físico do boi gordo, informa a IHS.

“O clima chuvoso registrado no interior paulista e parte de Minas Gerais também ajuda na recuperação dos pastos e tem motivado maior liquidez nos leilões”, informa a IHS.

Entre as praças da região Norte, foram registradas quedas nos preços dos animais mais novos (bezerro e bezerra). “O pasto em Tocantins e no Pará ainda não apresenta vigor em função da irregularidade das chuvas”, justifica a IHS.

O mercado, na visão da Scot – De acordo com levantamento da Scot Consultoria, considerando a média de todas as categorias aneloradas de machos e fêmeas de reposição, durante a atual semana, as cotações ficaram praticamente estáveis (recuaram 0,1%), em relação à média de outubro.

“A vasta oferta de bezerros tem gerado uma pressão baixista nas cotações e as incertezas no mercado do boi gordo têm deixado o pecuarista desmotivado no momento das compras”,  a zootecnista Jayne Costa, analista de mercado da Scot Consultoria.

Além disso, continua ela, dado o período de imunização do rebanho contra a febre aftosa, poucos negócios têm ocorrido no mercado de reposição.

Porém, prevê Jayne, com o maior volume de chuvas no Brasil Central, as pastagens estão recuperando a sua capacidade de suporte.

“Com o esperado aumento da demanda interna por carne bovina no curto prazo, estimulado pelas festividades de final de ano, a expectativa para os próximos meses é de que a demanda por bovinos de reposição aumente, dando maior poder de negociação para a ponta vendedora”, projeta a analista da Scot.