Menu
Busca terça, 23 de abril de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
24º
PESQUISA

Embrapa apresenta inovações para a cultura do coqueiro na Fenacoco

Pesquisas da Embrapa contemplam o uso integral do coco, tanto em seu aspecto nutricional quanto no reuso da casca que seria descartada

08 agosto 2022 - 12h28Por Embrapa

Fortaleza sediará, entre os dias 10 e 12 de agosto, no Hotel Praia Centro, a nona edição da Feira Nacional do Coco (Fenacoco), evento que se propõe estudar, discutir e promover o fomento da cadeia produtiva do coco, com vistas ao desenvolvimento sustentável do setor. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) apresentará ao público as tecnologias desenvolvidas para o beneficiamento da cocoicultura. 

Quem visitar o estande da Embrapa na Fenacoco encontrará soluções tecnológicas produzidas pelos pesquisadores e apresentadas por meio de vídeos e conteúdos digitais. As inovações vão desde a película biodegradável de coco verde, desenvolvida pela Embrapa Agroindústria de Alimentos (Rio de Janeiro-RJ), até a ‘Coquita’, substrato criado pela Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju-SE) à base do pó da casca de coco acrescido de diferentes fontes de matéria orgânica disponíveis na propriedade rural, como o esterco bovino, esterco de aves e o formulado com o pó de cascas de coco em mistura com composto orgânico mais húmus de minhoca. 

A Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza-CE), por sua vez, abordará tecnologias relacionadas à irrigação do coqueiro e ao processamento do fruto. O público terá acesso às seguintes publicações: "Irrigação e aplicação de fertilizantes no coqueiro", "Qualidade da água dos frutos do Coqueiro-Anão" e "Manejo da irrigação do Coqueiro-Anão".

Dentro do ramo da agricultura digital, a Embrapa Tabuleiros irá expor o software FertOnline Mobile, desenvolvido para fornecer recomendações de adubação e calagem para o cultivo de coqueiros. Trata-se do mais completo sistema de recomendação de adubação de coqueiro para o Nordeste do Brasil, agora em formato de aplicativo móvel, acessível gratuitamente na Play Store. As informações sobre essas tecnologias estão disponíveis para o público em geral, gratuitamente, na seção Soluções Tecnológicas do site da Embrapa Tabuleiros Costeiros.

Derivados do coco em destaque

A Embrapa Agroindústria de Alimentos apresentará derivados do fruto na feira: doce de coco verde, doce de coco verde com umbu, doce de coco verde com abacaxi e a fruta laminada de jabuticaba com coco. A pesquisadora Renata Torrezan explica que a finalidade é apresentar aos produtores de água de coco verde uma alternativa de aproveitamento da polpa. “A produção desses doces agrega valor à cadeia de coco verde e às demais cadeias de frutas da biodiversidade brasileira, como de umbu e abacaxi, que podem ser utilizadas em associação com a polpa de coco verde para a produção de cocadas cremosas”, afirma. 

A pesquisadora explica, ainda, que as cocadas cremosas foram elaboradas a partir da polpa de coco verde acrescida de frutas tropicais, sem adição de aditivos, com redução de 60% do açúcar adicionado e com menor valor energético em relação às cocadas tradicionais. “A expectativa é que os interessados possam provar os produtos e vislumbrar novas oportunidades de negócios e de investimentos na área de alimentos”, destaca Renata.    

A película biodegradável para coco verde, tecnologia que consiste na aplicação de um revestimento não tóxico para preservar a qualidade do coco verde por mais tempo, é outro destaque da Embrapa Agroindústria de Alimentos. A inovação é formulada por polissacarídeos e demais compostos que atuam como barreira física que desacelera o metabolismo do fruto ao diminuir a respiração, a atividade enzimática, a degradação de açúcares e vitaminas. Com a película, os frutos são preservados por até 40 dias a uma temperatura entre 10 e 13 graus, garantindo a possibilidade de exportá-los in natura. 

O revestimento de coco verde será apresentado através de um vídeo mostrando que a tecnologia está pronta a ser utilizada pelo produtor que tem interesse em comercializar cocos verdes in natura para mercados distantes, principalmente, via exportação. “É possível entender que a tecnologia do revestimento está apta a ser repassada ao mercado produtivo e que, com isso, ele pode alcançar mercados que não consegue porque o produto não possui vida útil para tal”, explica o pesquisador da Embrapa Agroindústria de Alimentos, Antonio Gomes.

Participação em palestras e mesas redondas

Durante a solenidade de abertura da Fenacoco 2022, que terá início às 9h do dia 10, o ministro da Agricultura, Marcos Montes, e o presidente da Embrapa, Celso Moretti, abordarão a “Diplomacia dos Fertilizantes”, ou seja, a importância dos fertilizantes como produto não passível de sanção junto a Organismos Internacionais, como a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). No mesmo dia, às 16h30, a pesquisadora Maria Cléa Figueiredo, da Embrapa Agroindústria Tropical, ministrará a palestra “Pegadas Hídricas e de Carbono do Coco Verde: Desafios e Oportunidades”. 

A pesquisadora Viviane Talamini, chefe de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Tabuleiros Costeiros e especialista em doenças de plantas, participa do primeiro painel, na quarta (10) às 14h, com o tema ‘Cadeia produtiva do coqueiro – gargalos e estratégias para o avanço no Brasil’. Talamini participa, também, na quinta (11) às 14h, da mesa redonda sobre a Atrofia Letal da Coroa do Coqueiro (ALCC), uma doença ainda pouco conhecida que já está presente nos coqueirais brasileiros e preocupa autoridades, cientistas e produtores. A sessão conta, ainda, com a pesquisadora Alessandra Boari, da Embrapa Amazônia Oriental (Belém, PA), além de outros especialistas nacionais e internacionais.

No dia 11, às 15h45, Genésio Vasconcelos, chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Agroindústria Tropical, e o chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Agroindústria de Alimentos, André Dutra, conversam sobre o tema "Inovação Aberta com a Embrapa – Oportunidade no Desenvolvimento de Novos Produtos”.  

Na sexta (12), às 8h30, o pesquisador Emiliano Costa, especialista em genética de plantas, apresenta o Programa de Melhoramento Genético do Coqueiro, liderado por ele na Embrapa Tabuleiros Costeiros, abordando o estágio atual das pesquisas e as perspectivas para a área. Por sua vez, o engenheiro de alimentos da Embrapa Agroindústria Tropical, Fernando Abreu, debaterá os novos incrementos tecnológicos no processamento da água de coco.

Sobre a Fenacoco

A Feira Nacional do Coco tem como objetivo promover o desenvolvimento da cadeia produtiva do coco, no que diz respeito ao crescimento econômico, social, cultural, turístico e das ações de sustentabilidade. O evento reúne desde produtores, empresários, artesãos e pesquisadores a gestores do setor público de áreas relacionadas à atividade.

Em sua edição mais recente, realizada em 2019, a Fenacoco reuniu 822 participantes de 25 estados brasileiros e seis países, consolidando-se como o maior evento de cocoicultura da América Latina. Com programação diversificada, a Fenacoco contará com palestras, mesas-redondas, exposições de artesanato, simpósios e espaços gastronômicos