Menu
Busca segunda, 26 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
27ºmax
22ºmin
Notícias

BB estuda nova linha de crédito para frigoríficos em MS

05 maio 2010 - 00h00Por Famasul.

A proposta que está sendo elaborada pelo Banco do Brasil (BB) em parceria com a Associação dos Frigoríficos de Mato Grosso do Sul (Assocarnes) para a criação de uma nova linha de crédito para atender a rede frigorífica do Estado está sendo vista com bons olhos pelo presidente do Fórum da Pecuária de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Antenor Nogueira.

A iniciativa do BB surgiu após o lançamento da Bolsa de Carnes, projeto para estabelecer um novo mecanismo de compra e venda de gado gordo. A nova linha de crédito está em fase de construção e ainda aguarda aprovação da superintendência nacional do BB.

De acordo com o gerente de agronegócios do BB, Loreno Budke, o assunto foi discutido durante reunião na última sexta-feira (30) juntamente com a Assocarnes, com o objetivo de levar novas propostas aos associados e reforçar as linhas de crédito já oferecidas. "As redes frigoríficas menores precisam dar garantia e credibilidade ao produtor que está vendendo seu gado, para isso ele precisa de capital de giro, imprescindível para os negócios fluírem com liquidez", diz.

Para Antenor Nogueira, o financiamento proposto pelo BB é uma forma efetiva de ajudar a rede frigorífica. "A cada ano novas linhas de crédito são abertas. O BNDES é um exemplo disso, proporcionando livre acesso com volumes de financiamento fantásticos. O que precisamos é de iniciativas que atendam diretamente a pequena e média indústria", afirma. O dirigente destaca o momento como propício para a criação de novas iniciativas e o firmamento da bolsa de carnes, tendo em vista que as empresas, principalmente de Mato Grosso do Sul, precisam recompor seu capital de giro. "Dessa forma vamos ter em curto prazo sucesso maior", frisa.

Ainda conforme Antenor, a pecuária da região Centro-Oeste tem agora condições de comercialização que há muitos anos não tinha, de receber efetivamente o valor do gado gordo. "O processo é dinâmico e vai se aperfeiçoando, não somente com a agregação de novos parceiros, como também evoluindo, e melhorando a condição de oferta. Eu acredito que o ano de 2010 vai ser o marco para a pecuária brasileira, oferecendo condições especiais em benefício de toda a cadeia", conclui.

O presidente da Assocarnes, João Alberto Dias, acredita que a iniciativa irá acelerar o processo da bolsa e fomentar a negociação de bovinos por meio da compra e venda eletrônica. "A participação do BB é uma forma vital de melhorar e fazer fluir a comercialização. Dessa forma conseguiremos uma boa porcentagem de adesão da rede frigorífica", diz. A entidade possui hoje 24 frigoríficos associados, espalhados em 23 municípios do Estado.