Menu
Busca sábado, 28 de novembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
36ºmax
23ºmin
Liquidez Total

2º Leilão da Paquetá atrai compradores de todo o País

02 outubro 2009 - 00h00

O 2º Leilão da Agropecuária Paquetá -realizado no dia 21 de setembro na Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), e organizado pela LeiloGrande Leilões Rurais e Central Leilões-, alcançou a média de R$ 5.840,00 nos reprodutores com CEIP (Certificado Especial de Identificação e Produção) e R$ 5.481,00 de média geral dos reprodutores.

O evento contou com a participação da Conexão Delta G Norte e Nelore de Produção. “Foi um sucesso absoluto, prestigiado por muitos produtores do Estado e do Brasil”, comentou o Murilo Borges, diretor da LeiloGrande.  

Foram comercializados 89 lotes entre machos e fêmeas da raça nelore. Segundo Murilo Borges, os animais vendidos são de alta avaliação genética como touros com CEIP, que é outorgado pelo MAPA (Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento) somente aos reprodutores que tem a avaliação positiva no que diz respeito à transferência de suas características genéticas de ganho de peso, produção e precocidade sexual. “Antes de ser certificado o animal passa por rigorosos testes de avaliação genética e mensuração e depois, se ele for aprovado, recebe o certificado”, explica.

Pecuaristas de tradição como: Silvio Eduardo Burani, Décio Bardi da Fonseca (que há dez anos compra da Paquetá), Nelson João Betipaglia, Wilson Barbosa Martins, entre outros, compareceram para prestigiar o leilão. Conforme Murilo Borges, os lotes foram bastante disputados e o mais apreciado foi um tourinho New Gen arrematado por R$ 14.720,00.          

A melhoria

No leilão foram comercializados animais do Projeto New Gen, idealizado por Edison Rech e sua equipe, na fazenda Paquetá, em Ponta Porã. Esse projeto promete revolucionar a precocidade das matrizes nelores, pois, em quatro anos de existência, já conseguiu emprenhar mais de 1.500 matrizes com 12 meses de idade.

Além disso, o macho em confinamento chega ao ponto de abate com 22 meses e 520 kg em média. “E é essa genética que a Paquetá está disponibilizando no mercado”, frisa Murilo Borges.   Isso foi possível através de um constante melhoramento genético e do manejo “creep-feeding” – que é uma forma de suplementação com ração balanceada em um cocho com acesso somente à cria, sem separá-la de sua mãe.

Com essa técnica as bezerras na Paquetá alcançaram peso de 253 kg aos sete meses de idade, e maturidade sexual entre 12 e 14 meses; características estas que foram repassadas aos seus descendentes. Neste ponto é que os resultados começaram a surgir.

As primíparas, ou seja, que gestaram pela primeira vez, conceberam entre 12 e 14 meses, e tiveram a reconcepção aos 24 meses com uma taxa de prenhez no primeiro ano de 64,3%. No segundo ano, este número passou para 72%, e hoje já atinge 83,6%. As multíparas New Gen chegaram a 91% de prenhez.

Mais informações:

www.leilogrande.com.br