Menu
Busca domingo, 25 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
32ºmax
21ºmin
Pecuária

Produtores estão otimistas com a pecuária este ano

19 abril 2010 - 00h00Por Globo Rural

O preço da arroba do boi gordo melhorou nas últimas semanas. Em São Paulo, os reflexos já podem ser sentidos no campo.

Na fazenda Brumado, em Barretos, norte de São Paulo, o pasto está verde. Nela, seu Tonico Carvalho tem o ciclo completo: faz cria, recria e engorda. Ele conta que as chuvas ajudaram e que com o pasto de boa qualidade, o gado está engordando mais e gerando mais lucro. “Esse ano pela qualidade das pastagens você vende o mesmo número de animais, mas acaba realizando mais arroba de carne. É um diferencial de 10 a 15% a mais que você acaba realizando pela qualidade das pastagens”, diz Tonico Carvalho, pecuarista.

Além da qualidade do pasto, o preço do boi vem subindo há mais de um mês. No começo de março, a arroba valia, no estado de São Paulo, em média 76 reais. Terminou o mês valendo 81 reais.

O pesquisador Sérgio Dezez, do Cepea, Centro de Economia em Pesquisa Aplicada da Esalq, explica os motivos para este aumento. “Desencontro entre oferta e demanda. A recuperação do mercado externo tem mantido a demanda num patamar acima daquilo que os agentes de mercado esperavam para esse início de ano. Consequentemente aquilo que a gente está ofertando de animais não é suficiente para derrubar o preço”, declara Sérgio de Zen, agrônomo - Cepea-USP.

Na fazenda Santa Genoveva no município de Jaborandi, Marcelo compra boi magro para engorda. Ele adota o sistema de confinamento. O boi engorda comendo ração. “Aqui, você gasta 3,50 por dia para só de custo de alimentação, mas, por outro lado, você tem um desempenho dos animais muito maior. Aqui nós chegamos ter um quilo e meio de ganho de peso por dia que dá quase duas arrobas líquidas por animal”, diz.

Este ano o criador está tão otimista que decidiu usar toda a capacidade do confinamento. Até junho, vai engordar 1.500 animais e até outubro, mais três mil.

Esse investimento todo tem uma explicação simples de Marcelo. “Esse ano o preço está bem remunerador. Tanto no mercado físico quanto a bolsa, está um preço que dá para a gente trabalhar. Vai ser um ano igual 2008 e bem melhor que 2009”.

Como o preço internacional da carne bovina subiu, o Brasil faturou com as exportações, nos primeiros três meses do ano, 23% a mais do que no mesmo período do ano passado.