Menu
Busca quarta, 12 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
33ºmax
20ºmin
Notícias

Vendas para União Européia valorizaram preço do mel

20 janeiro 2010 - 00h00Por Agência Sebrae de Notícias, por Xeyla Oliveira.

O valor das exportações de mel em 2009 cresceu mais de 51% em comparação com 2008. O preço foi recorde, atingindo US$ 2,77/Kg. A receita no ano passado foi de US$ 65,79 milhões, correspondentes a 26 mil toneladas. Nesse mesmo período houve aumento em 42% na quantidade comercializada.

Segundo Reginaldo Resende, da Unidade de Agronegócios do Sebrae e coordenador da Rede Apicultura Integrada Sustentável (Rede Apis), o preço médio do produto em 2009, de US$ 2,53/kg, foi o mais alto alcançado na história. "Esse preço superou os US$ 2,38/Kg pagos pelo mel brasileiro em 2008. Se considerarmos a taxa média de câmbio, o preço médio de 2009 foi de R$ 5,03, superior aos R$ 4,35 pagos em 2008”, explica.

Os Estados Unidos foram o principal destino do mel brasileiro, mas houve redução da participação norte-americana na receita, passando de 73,1%, em 2008, para 62,5%, em 2009. Os norte-americanos compraram 16,98 mil toneladas, a US$ 2,42/Kg, totalizando US$ 41,13 milhões.

A Alemanha foi o segundo destino, ampliando sua exportação de 16,5%, em 2008, para 20,7% no ano passado. Com o mercado alemão foram comercializados US$ 13,61 milhões, equivalente a 4,84 mil toneladas de mel, ao preço de US$ 2,81/Kg.

O Reino Unido ampliou sua participação, passando de 2,2% para 9,2%, e foi o terceiro mercado do produto brasileiro. Para esse país, foram exportados US$ 6,05 milhões, referentes a 2,56 mil toneladas, ao preço de US$ 2,68/kg.

O empresário Paulo Levy, proprietário da Cearape e principal exportador de mel orgânico do país, confirma o bom desempenho do setor. Segundo ele, sua empresa teve em 2009 aumento no volume exportado e recorde de preço, de 3,50/Kg. “Com a crise financeira global, os americanos sofreram muito com a quebra de produção. Com isso, ele teve que importar mais”, explica.

Para Levy, o fim do embargo e o retorno do mel brasileiro, em 2008, ao mercado da União Européia foi fundamental para a valorização da matéria-prima. "Nosso mel voltou a ser valorizado e abriu ainda mais as portas do mercado americano", comemora.

No mercado interno, São Paulo permaneceu na liderança das exportações, com US$ 17,51 milhões. O estado respondeu sozinho por um quarto das exportações brasileiras em 2009. O Ceará foi o segundo exportador, com US$ 14,37 milhões, referente a mais de um quinto do valor exportado (21,8%), O terceiro lugar ficou com o Rio Grande do Sul, atingindo receita de US$ 9,68 milhões, seguido de Santa Catarina, com US$ 7,91 milhões.