Menu
Busca quinta, 17 de junho de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
26ºmax
15ºmin
Notícias

USDA reduz estimativa para safra de soja dos EUA, mas sobe número do Brasil

10 novembro 2017 - 00h00Por Notícias Agrícolas

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe seu novo boletim mensal de oferta e demanda de novembro nesta quinta-feira, 9, confirmando uma redução nos estoques finais e na produção norte-americana de soja.

A safra 2017/18 foi estimada em 120,43 milhões de toneladas, contra 120,58 milhões do reporte anterior. A média esperada era de 119,06 milhões, porém. Já os estoques finais do país caíram para 11,57 milhões de toneladas, contra as 11,72 milhões de outubro. O intervalo das expectativas era de 10,26 a 12,54 milhões, com média de 11,43 milhões de toneladas.

A produtividade, por sua vez, foi mantida nas 56,12 sacas por hectare, mesmo número do relatório anterior. Da mesma forma, as exportações americanas foram mantidas na estimativa de 61,24 milhões de toneladas.

Soja Mundo

O USDA, por outro lado, trouxe um aumento da produção mundial de soja, que passou para 348,89 milhões de toneladas, e elevou também os estoques finais globais de 96,05 para 97,9 milhões de toneladas.

Para a safra brasileira veio 1 milhão a mais de toneladas e colheita 2017/18 passou a ser estimada em 108 milhões de toneladas. Assim, os estoques finais subiram para 22,26 milhões. Ao mesmo tempo, porém, as exportações nacionais foram revisadas para 65 milhões de toneladas.

No quadro argentino, a mudança ficou por conta dos estoques, que caíram de 37,13 para 37,55 milhões de toneladas.

Entre os dados da China, destaque para um aumento das exportações de 95 para 97 milhões de toneladas. Por outro lado, os estoques finais chineses subiram para 20,46 milhões de toneladas.

Milho EUA

No caso do milho, a situação foi contrária e os números foram revisados para cima, convergindo com algumas expectativas do mercado. A produção do cereal no país foi revisada de 362,73 milhões para 370,3 milhões de toneladas. A produtividade subiu para 185,65 sacas por hectare, contra as 181,82 estimadas no boletim de outubro.

Dessa forma, os estoques finais americanos subiram de 59,44 milhões para 63,17 milhões de toneladas. O uso do grão para a produção de etanol ainda é mantido em 139,07 milhões de toneladas, enquanto as exportações foram corrigidas de 46,99 para 48,9 milhões de toneladas.

Milho Mundo

A produção mundial de milho, assim como ocorreu na soja, também foi elevada. A estimativa do USDA agora é de que a colheita chegará a 1.043,9 bilhão de toneladas. Os estoques finais do cereal foram corrigidos de 200,96 para 203,86 milhões de toneladas.

A safra brasileira foi mantida em 95 milhões e a da Argentina em 42 milhões de toneladas. Os estoques finais, respectivamente, ficaram em 9,07 e 6,27 milhões de toneladas, sendo o número argentino maior do que o do reporte anterior.