Menu
Busca quinta, 25 de fevereiro de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
34ºmax
23ºmin
Notícias

Suíno vivo: Altas de fevereiro se confirmam pela segunda semana

13 fevereiro 2017 - 00h00Por Notícias Agrícolas

As cotações do suíno vivo no mercado independente seguiram a tendência altista nesta semana. Como era esperado pelo setor, o forte ritmo das vendas externas tem garantido maior liquidez no mercado.

Mas, além do interesse pelos animais vivos, há neste período redução na disponibilidade de matéria-prima que também colabora com o viés altista.

O levantamento de preço realizado pelo economista do Notícias Agrícolas, André Lopes, apontou alta em sete das oito praças pesquisadas. A maior valorização percentual ocorreu em São Paulo [13,13%], onde o animal vivo saiu de R$ 4,80 para R$ 5,44/kg nesta semana.

Os levantamentos do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) também destacou que a média das cotações em todas as regiões pesquisados superou os cinco reais, pela segunda vez na história.

O Centro relata que em algumas regiões os preços nessa semana chegaram a R$ 5,30/kg, o mais elevado na série histórica do Cepea.

O preço do suíno vivo no mercado independente de Santa Catarina atingiu nesta semana o maior valor desde 19 de novembro de 2014, sendo cotado a R$ 4,50. Com alta de R$ 0,45 os suinocultores comemoram o desempenho atípico do mercado neste início de ano.

"O mercado tem se mostrado bastante firme nos últimos dias. Muitos foram os pedidos  de cargas extras e os animais do plantel como um todo estão  leves o que nos leva a uma situação positiva ao produtor", conta o gerente geral da Arapé Agroindústria, Roberto Magnabosco.

A explicação para o cenário altista é a redução de oferta em todo o país, aliado ao estoque enxuto das agroindústrias. “Não há suíno pesado no mercado, à oferta está baixa e as grandes indústrias estão procurando suínos no mercado independente”, destaca o presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio Luiz de Lorenzi.

Exportações

Para os pesquisadores do Cepea o desempenho das exportações é o grande responsável por esse cenário atípico de alta.

Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, divulgado nesta segunda, o país embarcou 11,3 mil toneladas de carne suína in natura na primeira semana de fevereiro (três dias úteis). Na comparação com igual período do ano passado houve incremento de 27,8% no volume.