Menu
Busca terça, 23 de abril de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
24º
PRODUÇÃO VEGETAL

Sorgo tem crescimento como alternativa para produção de grãos com segurança

De acordo com os dados de estimativa de safra da Conab, na safra 2021/2022, a área de cultivo terá um incremento de 22,6%, chegando a 1,1 milhão de hectares

05 setembro 2022 - 08h51Por Embrapa

No Brasil, a cultura do sorgo tem ganhado espaço nas últimas safras. O País é o oitavo maior produtor global. De acordo com os dados de estimativa de safra da Conab, na safra 2021/2022, a área de cultivo terá um incremento de 22,6%, chegando a 1,1 milhão de hectares, e a produção terá um incremento de 40,3%, chegando a 2,9 milhões de toneladas.

O crescimento da cultura pode ser associado às alterações climáticas dos últimos anos, com redução de chuvas na estação destinada aos cultivos de segunda safra. Nesse cenário, a cultura do sorgo, por sua adaptação natural a condições ambientais adversas, tem papel cada vez mais importante para a segurança alimentar.

“A tolerância do sorgo ao estresse hídrico tem sido a principal razão para o aumento da área plantada com esse cereal, que ocorre predominantemente na segunda safra no Brasil”, afirma o pesquisador da Embrapa Cícero Menezes. O sorgo tem sido uma boa opção para a produção de grãos nas situações em que a falta de água oferece maiores riscos para outras culturas, como o milho.

“A planta de sorgo, durante o estresse hídrico, paralisa seu crescimento e volta a crescer quando a chuva retorna, suportando veranicos de até 20 dias, com pouco comprometimento da produção”, explica Cícero. Em termos mercadológicos, o cultivo de sorgo granífero em sucessão às culturas de verão, principalmente a soja, tem contribuído para a oferta sustentável de grãos de baixo custo para a agroindústria de rações.

“Atualmente, em toda a região produtora de grãos de sorgo do Brasil Central, o produto mostra boa liquidez para o agricultor e preços competitivos para a indústria que, cada vez mais, procura alternativas para compor suas rações com qualidade e menor custo”, afirma o pesquisador.

Para discutir o cenário e as perspectivas da cultura, será realizado o painel “Mercado e potencialidades da utilização do sorgo grão” durante o XXXIII Congresso Nacional de Milho e Sorgo.

O painel terá três palestras:

- “Sorgo - Mercado em expansão”, com Felipe Fabbri, Coordenador da Divisão de Mercado de Proteínas Alternativas e de Custo de Produção da Scot Consultoria;

- “Indústria e consumo de sorgo grão: desafios e oportunidades”, com Dércio Oppelt, Gerente Executivo de Operações e Logística da BRFoods; e

- “Estratégias e inteligência territorial para o desenvolvimento do mercado de sorgo”, com Urubatan Klink, da South America Commercial Lead - Innovative Seed Solutions LLC.

O 33º Congresso Nacional de Milho e Sorgo (CNMS) será realizado de 12 a 15 de setembro, com programação técnico-científica online. O painel “Mercado e potencialidades da utilização do sorgo grão” será no dia 14 (quarta-feira), de 10h20 às 12h20, com moderação de Leonardo Duarte Pimentel, professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV).

O Congresso será em formato híbrido, sendo online para os inscritos e presencial para convidados, em Sete Lagoas, cidade localizada na região Central de Minas Gerais. O evento técnico-científico é realizado a cada dois anos pela ABMS (Associação Brasileira de Milho e Sorgo). Nesta edição, a organizadora é a Embrapa Milho e Sorgo, com o tema “Brasil: 200 anos de independência – Sustentabilidade e desafios para a cadeia produtiva de grãos".