Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
34ºmax
20ºmin
Notícias

Rússia pode suspender compra de carne brasileira

10 setembro 2013 - 00h00Por Famasul
De acordo com informações da Gazeta Russa, a Rússia, além da Ucrânia, entre outros países, pode proibir a importação de carne suína brasileira por conta da adição de um estimulante de crescimento muscular, a ractopamina, presente na produção de algumas empresas brasileiras. A carne bovina também está correndo riscos de ser proibida por estes países.
 
“Se as avaliações das novas inspeções de produtores de carne suína brasileira não mudarem, a importação desse produto poderá ser proibida”, alertou Serguêi Dankvert, presidente do Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária, em entrevista recente ao jornal.
 
Na visão dos especialistas russos, os fabricantes brasileiros não tomaram medidas para corrigir as falhas no processo industrial. “Há uma série de defeitos sistemáticos no funcionamento da agência veterinária brasileira, em múltiplas situações”, afirmou um dos responsáveis pela Vigilância Veterinária e Fitossanitária.
 
“Como a legislação brasileira permite o uso da substância, os estabelecimentos que exportam carne bovina e suína devem observar e cumprir as normas de países que compram seus produtos para que não sofram sanções comerciais”, alerta Ruy Nathan Lopes, assessor científico e veterinário da Gênese Diagnósticos.
 
Para que as importações de carne suína brasileira não sejam cortadas, o Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária da Rússia exige comprovantes de ausência desta substância que está proibida em 159 países.
 
Para evitar que esses produtos sejam exportados com residual da substância, o médico veterinário recomenda a utilização de kits específicos para detecção de Ractopamina pela metodologia ELISA, que servem como triagem para detecção desse resíduo. Segundo ele, esse método é bem sensível e pode ser realizado no laboratório do próprio frigorífico, evitando que o mesmo tenha que enviar todas as amostras ao laboratório para serem realizados exames de HPLC. O médico veterinário salienta que esses kits podem ser encontrados em distribuidoras brasileiras, entre elas, a Genese Diagnósticos.