Menu
Busca sábado, 08 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
31ºmax
17ºmin
Palavra do Presidente

Recordes existem para serem quebrados; ano que vem será melhor

25 março 2010 - 00h00

Francisco Maia, presidente da Acrissul

Como é bom ver as crianças e as famílias voltando ao Parque de Exposições. Somando-se as segunda e terça-feiras de portões livres quase 80 mil pessoas adentraram à Expogrande de 2010.

Em cada canto, em cada quiosque, pessoas de todas as faixas etárias lotavam pavilhões, estandes, áreas de lazer, praça de alimentação. E vendo que tudo está mudado. Uma prova de que o parque não pertence só aos produtores rurais, mas a toda sociedade sul-mato-grossense. Não poupamos esforços, funcionários, expositores, diretores, todos estamos dando o máximo para fazer o melhor, com os recursos existentes. Esta é a feira dos novos recordes.
 

E estamos batendo  todos os recordes, de público, de shows de qualidade, de palestras, de leilões, de faturamento, de número de animais inscritos para as pistas de julgamentos, de espaços comercializados, de crianças da rede pública de ensino visitando o parque. É a Expogrande superando as dificuldades e emergindo no cenário das grandes exposições nacionais e internacionais.
 

O momento é positivo. Existe otimismo, uma motivação crescente. É claro que nada é perfeito, e tudo exige muito trabalho.
 

No dia da abertura não faltaram emails e um movimento tentando impedir os produtores de irem à cerimônia, num boicote orquestrado, somente pelo fato de que ali estaria uma ministra de Estado que pensa diferente, que anda em outra linha de pensamento. Entendemos que isso é democracia, e respeitamos todas as formas de pensamento. Mas precisamos dizer que trata-se de uma ministra de Estado, que acabou sendo representada por outro ministro (do Planejamento), que deu à Expogrande igual prestígio. É a primeira vez que um ministro da área econômica participa de uma abertura da Exposição.
 

Sabemos da real motivação que essa ação tentando proibir a cobrança de ingresso tem. Mas nos causa estranheza, uma vez que em todas as exposições foi cobrado ingresso. Mesmo com patrocínio do poder público. Se assim não o fosse, o valor seria aumentado para R$ 30,00, pelo menos. O Festival de Inverno de Bonito é assim, e tantos outros eventos subsidiados. Mas a caravana passa... Mas nos deixa a preocupação de que uma decisão judicial impensada pode acarretar a suspensão dos shows para garantir a segurança pública de todos que frequentam o Parque de Exposições.
 

Enfim, a festa é um sucesso. Os produtores estão satisfeitos, os negócios estão fluindo, milhares de empregos foram criados. E batemos todos os recordes, inclusive de alegria.