Menu
Busca segunda, 29 de novembro de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
30ºmax
23ºmin
EM QUEDA

Preços da soja caem em todas as praças pesquisadas

Queda do dólar determinou recuo no mercado físico brasileiro

26 outubro 2021 - 11h28Por Canal Rural

pesar dos bons ganhos de Chicago, a queda do dólar determinou recuo nos preços da soja no mercado brasileiro. Os negociadores recuaram e travaram a movimentação.

– Passo Fundo (RS): a saca de 60 quilos baixou de R$ 172,00 para R$ 170,50

– Região das Missões: a cotação recuou de R$ 171,00 para R$ 169,50

– Porto de Rio Grande: o preço passou de R$ 177,00 para R$ 174,50

– Cascavel (PR): o preço caiu de R$ 170,50 para R$ 169,00 a saca

– Porto de Paranaguá (PR): a saca baixou de R$ 174,00 para R$ 173,00

– Rondonópolis (MT): a saca recuou de R$ 167,00 para R$ 164,00

– Dourados (MS): a cotação baixou de R$ 164,00 para R$ 162,50

– Rio Verde (GO): a saca passou de R$ 165,00 para R$ 163,00

Chicago e a soja

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam esta segunda-feira, 25, com preços mais altos. A demanda aquecida pelo produto americano e o bom desempenho do petróleo e dos óleos vegetais garantiram os ganhos.

Outro fator que preocupa o mercado nesse momento é o encarecimento dos preços dos fertilizantes. Analistas temem que a elevação nos custos resulte em menor uso desses produtos, podendo comprometer os rendimentos da próxima safra americana.

As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 2.103.505 toneladas na semana  encerrada no dia 21 de outubro, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). O mercado esperava o número em 2,21 milhões de toneladas.

Na semana anterior, as inspeções de exportação de soja haviam atingido 2.449.732 toneladas. Em igual período do ano passado, o total inspecionado fora de 2.888.760 toneladas. No acumulado do ano-safra, iniciado em 1o de setembro, as inspeções somam 8.129.440 toneladas, contra 14.782.896 toneladas no
acumulado do ano-safra anterior.

Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam com alta de 16,75 centavos de dólar por bushel ou 1,37% a US$ 12,37 1/4 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 12,47 por bushel, com ganho de 16,25 centavos ou 1,32%.

Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com baixa de US$ 0,20 ou 0,06% a US$ 327,20 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 63,14 centavos de dólar, alta de 1,05 centavo ou 1,69%.

O dólar comercial fechou o dia em R$ 5,5540, com alta de 1,26%. A moeda norte-americana foi fortemente impactada pelo cenário doméstico, com o mercado animado com as projeções de alta na Selic (taxa básica de juros) que variam entre 1,5 e 2,0 pontos percentuais.