Menu
Busca terça, 23 de abril de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
22º
Mercado pecuário

Preço médio da arroba na parcial de novembro/22 é o menor deste ano

No mercado brasileiro, até o momento (18/12), a arroba do boi gordo negociado nas praças de São Paulo, referência para outras regiões pecuárias do País, se encontra na menor média mensal de 2022

21 novembro 2022 - 15h01Por Scot Consultoria
Preço médio da arroba na parcial de novembro/22 é o menor deste ano

Na sexta-feira (18/11), o boi gordo “comum” enviado ao mercado doméstico (praças paulistas) esteve estável em relação ao preço a semana passada, precificado em R$ 275 (preço bruto e a prazo), de acordo os dados da Scot. “A queda na cotação da arroba durante o ano foi ocasionada pelo aumento na oferta de bovinos para abate”, justifica Julia.

Esse cenário, diz ela, é reflexo de um movimento de transição do ciclo pecuário, caracterizado pelo maior descarte de fêmeas aos ganchos dos frigoríficos brasileiros. Na avaliação de Julia, os custos de produção em alta e o maior uso de ferramentas de proteção de preços contribuíram para um mercado do boi gordo mais ofertado em 2022.

“Com uma boa oferta de matéria-prima (animais prontos para abater) e um consumo interno ainda fragilizado, a cotação do boi gordo perdeu sustentação”, ressalta a analista. Porém, há de reforçar a importância do mercado externo para o escoamento da carne bovina ao longo de 2022, que foi marcado por volumes expressivos de embarques mensais. “Foi importante ‘válvula de escape’”, observa Julia.

Nesse cenário de mercado externo aquecido, a China foi o maior consumidor internacional em 2022, repetindo o desempenho dos anos anteriores. Até outubro/22, o país asiático foi destino de 68,1% de toda carne bovina in natura exportada. Porém, relata a analista da Scot, a preocupação com os seguidos lockdowns no país asiático, além da desvalorização da moeda local em relação ao dólar, enfraqueceu o poder de compra do maior importador da proteína brasileira nos últimos meses.

“Este novo movimento da China tirou o ímpeto comprador das grandes indústrias, que têm trabalhado com ajustes de escalas e redução nos abates”, relata Julia. Segundo levantamento realizado pela Scot Consultoria, a ociosidade frigorífica média, em São Paulo, aumentou 15 pontos percentuais em outubro/22, em relação ao quadro observado em setembro/22.

No entanto, prevê a analista da Scot, para o médio prazo, com o fim da entrega dos bovinos de confinamento e o intervalo até a liberação dos bovinos engordados a pasto, pode haver uma diminuição na oferta de animais prontos para abate. “A oferta mais contida, atrelada à expectativa positiva para o consumo interno no final do ano, deve limitar novas quedas na arroba, trazendo esperança para o mercado do boi gordo”, observa Julia.