Menu
Busca quarta, 12 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
33ºmax
20ºmin
Notícias

MS intensifica produção e cana deve representar 14% da matriz energética do Brasil em 2020

19 agosto 2010 - 04h34Por Sato Comunicação
MS intensifica produção e cana deve representar 14% da matriz energética do Brasil em 2020

            Mato Grosso do Sul é um dos estados que vai turbinar a produção de energia a partir da biomassa nos próximos anos. A meta brasileira é aumentar a participação da energia produzida com bagaço da cana-de-açúcar na matriz energética para 14% até 2020. Para isso, é preciso sair dos atuais 1,8 mil MegaWatts (3%) para 13,1 mil MegaWatts (MW). Desse modo, a energia limpa encostará no óleo diesel como fonte de eletricidade. Segundo relatório da Associação da Indústria de Co-geração de Energia - Cogen, apresentado no Canasul 2010, em agosto, em Campo Grande, o Estado tem sete indústrias cadastradas no Programa Bioeletricidade 2011-2020. É o segundo maior número do País, abaixo do líder São Paulo, com 32 empreendimentos do total de 62.

O programa é um esforço para promover ajustes fiscais e administrativos no setor bionergético, além de facilitar financiamentos. De acordo com o estudo, comandado pelo vice-presidente da Cogen, Carlos Silvestrin, um dos palestrantes do Canasul, a capacidade instalada de geração de bioenergia no Brasil deve saltar de 112 mil MW para 167 MW, em 2020. Silvestrin aponta que a Bioeletricidade ficará mais presente no Brasil depois da Lei de Redução de Emissões que praticamente obriga as empresas de grande porte a escolher uma forma sustentável para produzir energia. Silvestrin afirmou que “as vantagens e possibilidades para a geração e utilização da bioenergia, são muitas. No apagão de novembro, por exemplo, as únicas cidades em que a energia não oscilou ou apagou, foram as cidades que são abastecidas com a energia feita da cana de açúcar.” Matéria-prima não vai faltar para dar fôlego à geração de bioenergia.

O estudo da própria Cogen aponta tendência de crescimento na produção de cana, que deve sair dos 685 milhões de toneladas, em 2010, para 1,1 bilhão, em 2019. Na transformação, são usados 75% de bagaço e 50% da palha da cana. O Canasul 2010 que aconteceu nos dias 16 e 17 de agosto, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo. As palestras poderã ser acessadas pelo site www.opec-eventos.com.br/canasul depois do dia 30. O Canasul 2010 foi realizado pela Comissão Técnica de Bionergia da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), com promoção do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Produção e Turismo (Seprotur); Associação dos Produtores de Bionergia de MS (Biosul) e Federação das Indústrias de MS (Fiems). Sebrae, Banco do Brasil e Ministério da Agricultura patrocinam o evento, que tem apoio da AEAMS, CREA-MS, OCB-MS e Mútua