Menu
Busca terça, 29 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
37ºmax
20ºmin
Notícias

Minas Gerais e Santa Catarina têm alta no mercado de reposição

17 setembro 2012 - 21h01Por SCOT CONSULTORIA

Diferentes motivos têm sustentado a alta dos animais no mercado de reposição brasileiro. Em Santa Catarina, a oferta menor do que a procura é o fator de apreciação. Já, em Minas Gerais, o aumento das cotações no animal terminado provoca efeito cascata.

No Estado catarinense, o bezerro de ano foi a categoria com maior valorização nos últimos 12 meses. Cotado atualmente em R$ 830,00 a cabeça, o animal teve alta de 8,3% no preço.

O boi magro teve o menor aumento, de 1,5%, cotado em R$1.210,00. O boi gordo subiu 1,0%, cotado em R$ 98,00 a arroba à vista. Neste mesmo período, a relação de troca com o boi gordo que teve maior variação foi a com o bezerro de doze meses, queda de 6,7%. Atualmente compra-se 1,99 bezerro de doze meses com a venda de um boi gordo de 16,5 arrobas. Segundo o último levantamento realizado pela Scot Consultoria, em Minas Gerais, o boi magro teve valorização de 1,8% na comparação com a semana anterior.

O preço referência está em R$ 1.100,00 por cabeça. Comparando com o mesmo período de agosto, a valorização foi de 3,8%. Naquela época, o preço era de R$ 1.060,00 a cabeça. Mesmo com a pressão de alta existente para os preços dos animais terminados, o mercado de reposição segue com volume modesto de negociações.