Menu
Busca terça, 29 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
37ºmax
20ºmin
Notícias

Marfrig confirma venda da Seara Brasil para JBS

11 junho 2013 - 12h59Por ESTADÃO CONTEÚD

A Marfrig confirmou nesta segunda, dia 10, através de comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a venda das subsdiárias Seara Brasil e Zenda para a JBS. O valor da operação foi fixado em R$ 5,85 bilhões e será pago por meio da assunção de dívidas da Marfrig pela JBS. Segundo o comunicado, o contrato está condicionado à aprovação pelas autoridades competentes, incluindo o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A operação já foi aprovada pelos conselhos de administração de ambas as empresas. A Marfrig informa ainda que a venda desses ativos tem por objetivo reequilibrar a estrutura de capital da empresa e reforçar seu foco no Brasil na área de carne bovina, de distribuição e o redirecionamento estratégico ao segmento de "food service" e acelerar o crescimento de sua plataforma internacional. O presidente da JBS, Wesley Batista, disse que uma das razões do interesse da JBS na Seara foi, além da marca, a perspectiva de um cenário mais favorável para os grãos e câmbio no Brasil. – Nós acreditamos em um cenário mais favorável no país nesse segmento.

Estamos bastante confiantes na capacidade de geração de caixa do grupo neste ano e em diante. Logicamente, nós temos um relacionamento com os bancos brasileiros e vamos discutir. Mas a palavra não é repactuação. Vamos discutir com os bancos brasileiros oportunidades de dívidas que têm um custo que a gente consiga melhorar – afirmou. Sobre a integração das operações, Batista comentou que ela será feita "olhando o dia a dia, com pessoas certas e lugares certos". O negócio, cujas conversas começaram há aproximadamente três semanas, adicionará à JBS R$ 10 bilhões em seu faturamento anual. Batista disse que não há planos da empresa de fechar fábricas da Seara e afirmou que não vai fazer grandes aquisições nos próximos períodos.

– Estaremos 100% focados nesse negócio. Não vamos olhar grandes movimentos em aquisições, porque essa compra da Seara é estratégica para a expansão da companhia – frisou. A compra pela JBS envolveu 100% dos ativos da Seara Brasil e a unidade de couros da empresa no Uruguai. A Seara Brasil possui 30 unidades, 21 centros de distribuições, alguns escritórios internacionais e possui a capacidade de abate de três milhões de aves por dia e processamento de 80 mil toneladas de itens industrializados. Sem esses ativos, o grupo Marfrig fica um terço menor. A venda foi a solução para reduzir o endividamento da empresa, que no final do primeiro trimestre deste ano, ultrapassava R$ 12 bilhões. – A operação é feita através de assunção de dívida, o que nos ajuda a reduzir o endividamento do grupo, principalmente o endividamento bancário, a quase zero, e o financiamento do grupo fica praticamente centrado no mercado de capitais – destaca Rial.

A direção da Marfrig informou que, por enquanto, está descartada a venda de mais ativos. Com relação aos patrocínios esportivos da Seara - Santos, CBF e Copa do Mundo - Rial explicou que o contrato com a CBF foi interrompido no mês passado, não houve alteração quanto ao da Copa e o do Santos será decidido pela JBS. As especulação sobre a operação ganhou força entre abril e maio, quando o presidente do Grupo Marfrig, Sérgio Rial, afirmou que poderia colocar a Seara à venda para diminuir o nível de endividamento da companhia, que chega a R$ 12 bilhões. O grupo JBS vem ampliando a operação no setor de aves. No final do ano passado, assumiu as operações da Doux Frangosul. Em fevereiro deste ano, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica aprovou a compra da empresa Agrovêneto pelo grupo JBS sem nenhuma restrição ao negócio. O anúncio havia ocorrido no início de novembro de 2012, e a aquisição custou R$ 128 milhões. O lucro líquido consolidado da empresa JBS no primeiro trimestre deste ano aumentou 87% na comparação com o mesmo período do ano passado, alcançando R$ 242,227 milhões.

Gilberto Tomazoni presidirá divisão de aves da JBS no Brasil

O presidente da JBS, Wesley Batista, informou que Gilberto Tomazoni, que preside a JBS Aves, assumirá a presidência da unidade de aves, suínos e industrializados da companhia no país, agora que conta com a Seara Brasil. Tomazoni tem ampla experiência no setor, tendo trabalhado por mais de 30 anos na Sadia, com passagem também pela Bunge.