Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
24ºmax
19ºmin
Notícias

Mapa suspende exportações de carne bovina aos EUA

01 junho 2010 - 00h00Por Estadão, por Raquel Landim.

As exportações de carne bovina brasileira para os Estados Unidos estão suspensas. Na quinta-feira à noite, o Ministério da Agricultura interrompeu os embarques de carne bovina processada para o mercado americano, após um recall de produtos do frigorífico JBS, na qual identificaram a presença acima do permitido de Ivermectina.

O bloqueio dos embarques ocorre em um momento delicado nas relações entre os dois países. Os Estados Unidos estão preocupados com a interferência do Brasil em um acordo nuclear com o Irã. E o Brasil, por sua vez, ameaça elevar as tarifas de importação de produtos americanos por causa dos subsídios dados aos produtores de algodão.

Em função do incidente com o JBS, o Brasil suspendeu todas as exportações de carne bovina para os EUA, a fim de evitar prejuízos maiores. Mas a decisão foi tomada de comum acordo com os americanos, que se comprometeram a não pedir novos recalls. Ao interromper unilateralmente os embarques, o Brasil pode retomar as exportações mais rápido quando o problema for resolvido. Os frigoríficos que mais exportam para o mercado americano são o JBS, o Marfrig e o Minerva.

Nos dias sete e oito de junho, uma missão do governo brasileiro vai se reunir em Washington com os americanos para discutir o assunto. Segundo o diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), do Ministério da Agricultura, Nelmon Oliveira da Costa, os EUA fizeram uma mudança repentina em seus critérios técnicos para identificar o vermífugo.

No Brasil, os testes são feitos no fígado dos animais e a concentração da Ivermectina não pode ultrapassar 100 partes por bilhão. Agora, os EUA pedem testes no músculo e aceitam uma concentração de apenas 10 partes por bilhão. Segundo Costa, o critério utilizado no Brasil é recomendado pelo Codex Alimentarius da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

"Nós vamos até lá para esclarecer esse assunto. Queremos saber se os Estados Unidos estão adotando esse mesmo critério internamente e porque tiveram uma mudança de postura tão intransigente com o Brasil", disse Costa. O problema vem sendo discutido há quatro semanas entre autoridades brasileiras e americanas, mas só agora as exportações foram interrompidas.