Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
25ºmax
19ºmin
Notícias

JBS aposta em sinergias e melhor desempenho em 2010

09 março 2010 - 00h00Por Valor Econômico, por Alda do Amaral Rocha.

A JBS S.A, que fechou o quarto trimestre de 2009 com lucro líquido de R$ 127,9 milhões e receita líquida de R$ 7,408 bilhões, pode recorrer à emissão de mais ações no Brasil para financiar seu projeto de expansão da área de distribuição de produtos. Originalmente, o plano da empresa era abrir o capital da JBS USA nos EUA, mas a piora nas condições do mercado levou ao adiamento da oferta.

"Não fazer IPO não atrapalha os planos para a área de distribuição. Estamos estudando novas formas de financiamento. Certamente vamos decidir por outras fontes de financiamento ao longo desse tempo", disse o presidente da JBS S.A, Joesley Batista durante conferência sobre os resultados da empresa ontem. "[Podemos] emitir mais ações no Brasil, por exemplo, tomar mais dívida e o IPO nos EUA", elencou Batista, referindo-se às possibilidades de financiamento.

Ele observou que "a operação [IPO]não tem por fundamento pagar dívida". Assim, a empresa "só vai a mercado quando este estiver favorável", reiterou, admitindo que já há sinais de recuperação, como a alta do dólar em relação a outras moedas. Ele disse, porém, que pode não haver IPO nos EUA se o mercado não melhorar.

Depois de fechar o ano com um endividamento líquido de R$ 9,4 bilhões, reflexo da aquisição do controle da americana Pilgrim's Pride e da incorporação Bertin S.A., em setembro do ano passado, o foco da JBS agora é reduzir a dívida, gerar caixa e expandir as margens, segundo Batista.

A relação entre dívida líquida e o Lajida (lucro antes de juros, impostos e depreciação) da JBS estava em 3,1 vezes no fim de 2009 (já incluindo resultados da Pilgrim's e da Bertin). O presidente da companhia disse que o plano é ficar abaixo de duas vezes este ano. Ele avalia que os ganhos de sinergia decorrentes das aquisições da Pilgrim's e da Bertin poderão contribuir para trazer ganhos nos resultados.

De acordo com a JBS, desde 28 de dezembro passado, quando a Pilgrim's foi incorporada, US$ 95 milhões foram capturados, por meio de medidas nas áreas corporativas, transporte e suprimento de embalagens. A expectativa é de até o meio do ano gerar outros US$ 65 milhões com ganhos de sinergia por meio da redução de despesas gerais e administrativas, exportações e logísticas.

No caso da Bertin, os ganhos com sinergias até o fim do primeiro trimestre devem alcançar R$ 145 milhões com embalagens, processos industriais, formulações e no segmento administrativo. A área corporativa e as exportações devem gerar R$ 100 milhões em sinergias "nos próximos seis meses", segundo a empresa. No total serão sinergias anuais de R$ 500 milhões até 2011 com a Bertin.

Com a oferta de gado bovino melhorando no mercado doméstico, a JBS também quer elevar para 75% a 85% a utilização da capacidade instalada de abate no Brasil, hoje em 43,4 mil cabeças por dia. No último trimestre de 2009, a ociosidade era de 40%.

"O ano de 2010 vai ser bom no Brasil e no mundo. A crise assustou mais do que devia. O mundo vai crescer mais do que se imagina hoje", previu o presidente da JBS, Joesley Batista. Para ele, a melhora na renda de "bilhões de pessoas" no mundo continuará sustentando a demanda.

Questionado sobre novas aquisições, especialmente no setor de lácteos, o presidente da JBS afirmou que "só faz sentido entrar se for rentável". Garantiu que "no UHT (leite longa vida), pura e simples, commodity, [a JBS] não vai entrar". A JBS entrou em lácteos com a incorporação da Bertin, que havia comprado a Vigor em 2007.