Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
23º
MELHORAMENTO GENÉTICO

Exportações de genética bovina crescem 17% no primeiro semestre de 2022

O Index também aponta aumento das coletas, com mais de 12,3 milhões de doses coletadas nos primeiros seis meses do ano

26 agosto 2022 - 08h14Por DBO Rural

O Brasil exportou 470,9 mil doses de genética bovina no primeiro semestre, 17% mais em relação a igual período no ano passado, segundo a Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia). Na quarta-feira (24), a entidade divulgou o novo Index ASBIA 1º Semestre 2022, que traz os números.

A publicação, que conta com dados municipalizados, foi elaborada a partir de mais de 70 mil informações individuais e atualiza o cenário da inseminação artificial de bovinos no País, conforme a entidade.

“A gente vem num crescimento exponencial das exportações de genética brasileira, o que reforça que todo esse trabalho de melhoramento e investimento em tecnologia e genotipagens vem abrindo novos mercados para o Brasil”, disse na nota o presidente da Seleon Biotecnologia, Bruno Grubisich.

Segundo ele, neste ano cresce mais de 30% em relação ao ano passado o volume do produto de corte. “Cada vez mais os nossos vizinhos vêm lançando mão da tecnologia de IA e buscando no criador brasileiro uma resposta para esse melhoramento”.

O Index também aponta aumento das coletas. Foram 12.388.198 de doses coletadas nos primeiros seis meses de 2022, 15% mais em comparação com 2021. Em contraponto, o documento registra uma pequena retração no comércio de doses de aptidão de corte e leite.

“Em função de toda essa insegurança que nós tivemos em alguns mercados nacionais durante o primeiro semestre, a gente passa a ter um pequeno declínio do volume de doses de corte comercializadas. Algo ao redor de 5 a 7% de redução”, explicou o diretor de Operações Estratégicas da Genex, Carlos Vivacqua.