Menu
Busca sábado, 19 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
32ºmax
21ºmin
Notícias

Embarque de carne suína do país cresce; Rússia lidera em julho

14 agosto 2012 - 04h33Por Reuters
Embarque de carne suína do país cresce; Rússia lidera em julho

  As exportações brasileiras de carne suína aumentaram em julho e no acumulado do ano, após acordo com Argentina e incremento das vendas para o mercado russo, que voltou ao topo do ranking no mês passado, informou a indústria nesta segunda-feira (13).

Levantamento da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs) mostra que o Brasil exportou 44,2 toneladas em julho, alta de 22,54 por cento ante igual período de 2011. No acumulado do ano, as vendas externas do setor cresceram 3,32 por cento, para 313 mil toneladas.

Segundo a Abipecs, a retomada dos embarques para a Argentina contribuiu para o incremento das exportações em julho. Brasil e Argentina firmaram um acordo que permitiu a retomada das vendas de carne suína brasileira ao mercado vizinho.

O faturamento com as vendas externas atingiu 108,27 milhões de dólares, um aumento de 15,36 por cento. Contudo, nos sete primeiros meses de 2012, o faturamento foi de 795,62 milhões de dólares, uma queda de 4,04 por cento na comparação com o mesmo período de 2011.

Apesar do incremento em volume, o preço médio da carne suína caiu 5,86 por cento em julho, em relação a julho de 2011, passando a 2.447 dólares a tonelada.

No acumulado do ano, o preço médio caiu 7,13 por cento, passando de 2.737 dólares para 2.542 dólares a tonelada.

As exportações para a Rússia, tradicional mercado para a carne brasileira, haviam recuado por conta de um embargo a carne de três Estados --Paraná, Mato Grosso e Rio Grande do Sul. Mas em julho o país voltou a liderar o ranking como principal destino.

O Brasil vendeu para o mercado russo 11.854 toneladas, versus 3.983 t em julho de 2011, segundo a Abipecs. O embargo implementado em 15 de junho do ano passado, contudo, ainda não foi encerrado, segundo a Abipecs, que não de mais detalhes na nota sobre o aumento dos embarques aos russos.

"O embargo aos três Estados --Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso-- permanece. Continuamos aguardando o resultado da recente missão veterinária russa que visitou seis estabelecimentos de suínos no RS, SC e PR", ressaltou o presidente da Abipecs.

Os principais mercados para a carne suína brasileira em julho foram: Rússia, Hong Kong, Ucrânia, Angola, Argentina e Singapura.

No acumulado do ano, em primeiro lugar no ranking encontra-se Hong Kong, seguido de Ucrânia, Rússia, Angola, Singapura e Uruguai.