Menu
Busca sábado, 19 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
32ºmax
21ºmin
Notícias

Dificuldade de colheita e crescimento das vendas de etanol marcam a safra canavieira na segunda quin

11 julho 2013 - 00h00Por UNICA

 O volume de cana-de-açúcar processado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do Brasil totalizou 29,10 milhões de toneladas na segunda quinzena de junho, queda significativa de 17,50% em relação à quinzena anterior (35,28 milhões de toneladas) e recuo de 8,20% no comparativo com igual período da safra passada (31,70 milhões de toneladas).

Segundo o diretor Técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues, “essa retração na moagem ocorreu devido às chuvas que atingiram severamente algumas regiões produtoras, impedindo a operacionalização da colheita”. Nessa última quinzena de junho a incidência das chuvas foi bastante heterogênea: em alguns locais o aproveitamento de moagem foi próximo de zero, enquanto que em outras localidades o impacto das chuvas foi muito pequeno, acrescentou o executivo.

No acumulado desde o início da atual safra até 1º de julho, o volume processado de matéria-prima alcançou 180,98 milhões de toneladas. Essa quantia supera em 52,60 milhões de toneladas aquela verificada no mesmo período de 2012, mas ainda permanece 16,11% menor em relação à safra 2010/2011 (215,73 milhões de toneladas), quando as usinas localizadas no Centro-Sul processaram 556,95 milhões de toneladas ao final daquela safra.

 Produção de açúcar e etanol

Mantendo a tendência observada nas quinzenas anteriores, as unidades produtoras da região Centro-Sul continuaram priorizando a produção de etanol.  Na segunda quinzena de junho, a proporção de matéria-prima direcionada à fabricação de açúcar apresentou redução significativa, alcançando 41,90%, contra 47,79% em idêntico período da safra 2012/2013.

No acumulado desde o início desta safra até 1º de julho, esta proporção de cana-de-açúcar destinada para a produção de açúcar totalizou 41,85%, o segundo menor mix verificado nas dez últimas safras – apenas na safra 2008/2009 houve um índice inferior ao registrado até o momento neste ano.

Para o executivo da UNICA “se fizermos um exercício simples, extrapolando a tendência observada até agora para as quinzenas subsequentes da atual safra, concluímos que todo o crescimento esperado de moagem poderá ser direcionado para a produção de etanol”.

Com isso, apesar da retração na moagem, a produção de etanol alcançou 1,28 bilhão de litros na segunda quinzena de junho deste ano, aumento de 5,98% em relação ao volume apurado na mesma data de 2012. A produção de açúcar, por sua vez, recuou 16,36% nesta quinzena, totalizando 1,50 milhão de toneladas, contra 1,80 milhão de toneladas computadas na mesma data da safra 2012/2013.

Do volume total de etanol produzido nos últimos 15 dias de junho, 700,27 milhões referem-se ao etanol hidratado (queda de 2,19% em relação à mesma quinzena de 2012) e 578,35 milhões de litros ao etanol anidro (alta de 17,90% sobre o volume produzido em 2012/2013).

No acumulado desde o início da safra 2013/2014 até 1º de julho, a fabricação de açúcar atingiu 8,90 milhões de toneladas, enquanto que a produção de etanol alcançou 7,61 bilhões de litros, sendo 4,64 bilhões de litros de etanol hidratado e 2,97 bilhões de litros de etanol anidro.

Para o diretor da UNICA, “chama a atenção a produção acumulada de etanol anidro, que mais do que dobrou em relação à última safra”. Esse indicador evidencia o comprometimento do setor para atender o aumento do nível de mistura de etanol na gasolina, além de eliminar quaisquer dúvidas sobre a capacidade de produção de etanol anidro pelas indústrias, concluiu Rodrigues.


Qualidade da matéria-prima

A quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar processada atingiu 129,24 kg na última metade de junho, valor 3,93% superior aos 124,34 kg verificados em 2012.

No acumulado desde o início da safra 2013/2014 até 1º de julho, o teor de ATR por tonelada de matéria-prima alcançou 123,26 kg, 4,08% acima dos 118,43 kg registrados em igual período do ano anterior.

Vendas de etanol


As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somaram 2,24 bilhões de litros em junho, alta de 33,46% relativamente ao volume vendido no mesmo mês de 2012 (1,68 bilhão de litros).

Do volume total comercializado em junho deste ano, 469,81 milhões de litros destinaram-se às exportações e 1,77 bilhão de litros ao mercado doméstico.

No mercado interno, os volumes comercializados de etanol anidro e de etanol hidratado em junho totalizaram, respectivamente, 738,99 milhões de litros e 1,03 bilhão de litros (crescimento de 17,00% no comparativo com a safra passada).

Na segunda metade de junho, o menor preço do etanol hidratado nas bombas estimulou as vendas e o volume de hidratado comercializado pelas usinas alcançou 545,72 milhões de litros, expressiva alta de 12,82% em relação aos primeiros 15 dias do mês (483,69 milhões de litros) e crescimento de 26,37% no comparativo com a mesma quinzena de 2012, quando foram vendidos 431,83 milhões de litros.