Menu
Busca segunda, 20 de setembro de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
38ºmax
26ºmin
Notícias

De olho em votos para reforma da Previdência, Temer alivia dívida de municípios e ruralistas

17 maio 2017 - 00h00Por Reuters

O presidente Michel Temer começou nesta terça-feira uma ofensiva para garantir apoio de prefeitos e do setor agropecuário à reforma da Previdência, de olho no plenário da Câmara dos Deputados, uma vez que, admitem auxiliares próximos, o governo ainda não tem os 308 votos necessários para aprovar a proposta.

Temer assinou nesta terça-feira medida provisória autorizando o parcelamento em 200 vezes dos débitos dos municípios e Estados com o INSS, com desconto de 25 por cento nos encargos das dívidas, 25 por cento das multas e 80 por cento dos juros.

De acordo com uma fonte do Tesouro, que pediu anonimato, não há impacto fiscal com a medida porque o governo já não esperava receber pagamento das dívidas das prefeituras. A Reuters pediu à Receita Federal a estimativa de perda de arrecadação, mas não teve resposta.

Em troca do alívio aos prefeitos, Temer garantiu, durante a abertura da 20ª Marcha dos Prefeitos, a declaração de apoio à reforma da Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

"Tomamos a decisão de apoiar a reforma da Previdência como confederação", afirmou o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski. O governo espera agora que os prefeitos pressionem ou, ao menos dêem apoio para que os deputados votem pela reforma da Previdência.

Em discurso, durante a abertura da Marcha, Temer comemorou o resultado da primeira prévia do Produto Interno Bruto deste ano, que cresceu 1,1 por cento no primeiro trimestre deste ano, e o anúncio da criação de quase 60 mil vagas de emprego no mês de abril. “O PIB do último trimestre foi o maior dos últimos anos. Estamos recuperando a economia brasileira”, disse Temer aos prefeitos reunidos em Brasília.

Temer também deve assinar nos próximos dias outra medida provisória, dessa vez para reduzir a alíquota paga nos parcelamentos por produtores rurais referente ao Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural). Entre outros objetivos, a medida visa garantir a simpatia da bancada ruralista no Congresso à reforma previdenciária.

Na noite de segunda-feira, depois de mais uma reunião entre a equipe econômica e a bancada ruralista, ficou acertado que o novo Funrural terá uma alíquota de 1,5 por cento sobre a receita bruta, em vez dos atuais 2,3 por cento. Já o passivo daqueles que não pagaram o Fundo nos últimos anos será taxado com uma alíquota mais alta, possivelmente de 2,3 por cento. Ainda falta definir prazo e forma de pagamento, o que deve ser feito na quarta-feira.

O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), Nilson Leitão (PSDB-MT), afirmou que a decisão do governo de abrir um Funrural não condiciona ao apoio da bancada ruralista à reforma da Previdência.

"Uma coisa não está associada à outra", afirmou. O deputado disse que a questão do fundo tem de ser discutida e que o debate da reforma da Previdência é suprapartidário e de interesse geral do país.

A Frente, segundo informações próprias, tem 222 deputados e 24 senadores entre seus integrantes.

Na véspera, Temer disse que o governo só pretende colocar a proposta em plenário para votar quando tiver entre 320 e 330 votos. Hoje, de acordo com uma fonte palaciana, a conta estaria em torno de 315 votos.

Leia Também

Decreto revoga limitação de lotação em eventos, mas mantém Regime Especial de Prevenção
Coronavírus
Decreto revoga limitação de lotação em eventos, mas mantém Regime Especial de Prevenção
Mercado Externo
Arábia Saudita retoma importação de frigoríficos de MG após embargo de 10 dias
As compras haviam sido suspensas no dia 6, após a confirmação de um caso atípico do "mal da vaca louca" no Estado
Seca no rio Paraguai segue crítica e chuvas devem ser insuficientes na primavera
Meio Ambiente
Seca no rio Paraguai segue crítica e chuvas devem ser insuficientes na primavera
Expoagro: secretário Riedel e ministro do Turismo visitam feira em Dourados
Feiras & Eventos
Expoagro: secretário Riedel e ministro do Turismo visitam feira em Dourados