Menu
Busca terça, 27 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
28ºmax
22ºmin
72ª Expogrande

Criação de ovinos só cresce em Mato Grosso do Sul

19 março 2010 - 00h00

Com a variação da arroba do ovino de R$ 95,00 em Mato Grosso do Sul a R$ 120,00 em regiões como São Paulo, produtores de várias outras culturas têm se atendado cada vez mais à criação do rebanho. “A expectativa no estado para a criação de ovinos é muito boa.

A Asmaco (Associação Sul-Matogrossense dos Criadores de Ovino), tem realizado vários trabalhos para chegar mais perto da categoria e assim contribuir para o crescimento da classe”, diz a médica veterinária e técnica de registro genealógico da Arco (Assistência a Rebanhos de Criadores de Ovinos), Verônica Guglielmi.

Um dos trabalhos que ajuda a avaliar os melhores animais acontece durante a 72ª edição da Expogrande, onde os criadores vão expôr 250 animais. Durante o evento que acontece dia 20 de março, o juiz Elton Bock vai analisar vários aspectos que decidirão quais animais oferecem melhor qualidade, dentro de suas categorias.

Segundo Verônica hoje, o mercado precisa de constância de entrega e qualidade do cordeiro. “A Asmaco em parceria com o Sebrae/MS vai trabalhar com os produtores dentro de uma lógica de acompanhamento técnico gerencial até o momento da comercialização, para que haja fomento na produção”, diz. Ela ressalta ainda que o mercado é exigente, mas existe uma grande procura pela espécie.

A exportação é uma das etapas a ser alcançada, pois há compradores, porém Mato Grosso do Sul ainda não produz em quantidade suficiente. Duas cidade que se destacam aqui no estado em relação a produção destes animais são: Dourados e Anaurilândia. “Tudo o que vai ser elaborado para outros grupos, estes já desenvolveram”, revela Verônica a respeito dos municípios do interior.