Menu
Busca sexta, 18 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
36ºmax
21ºmin
Notícias

Cesta básica alimentar registra aumento de 0,11% na Capital

08 maio 2012 - 03h27Por Correio do Estado

 Conforme a análise dos técnicos da Semac, o final da colheita de outras frutas e menor oferta contribuíram para a elevação de preços da laranja em 8,90%. Já o óleo apresentou alta de 6,04%, devido o aumento da soja, registrado pela falta de chuvas que prejudicou o desenvolvimento dos grãos. As secas nas principais regiões produtoras de feijão prejudicaram seus estoques, elevando seu preço em 3,57%.

Houve também um excedente na colheita da batata aumentando seu estoque. Isto fez com que a oferta do produto tivesse queda de 6,29%. O clima favorável para o plantio da alface também fez com que seu preço reduzisse em 4,62%. Com o período de quaresma que diminuiu o consumo de carnes, associado à queda do volume exportado, gerou oferta no mercado interno.

Nos últimos seis meses, os produtos que assinalaram maiores altas foram: feijão, laranja, banana, alface, arroz e margarina. Destaque também para dos produtos que tiveram queda: tomate, batata, carne e macarrão.  

 Cesta Básica Familiar

 A Semac também pesquisa mensalmente a Cesta Básica Familiar, recomendada para uma família com cinco indivíduos. Ela é composta por um painel fixo de produtos, que deve preencher as necessidades para higiene, limpeza e alimentação. São pesquisados 32 produtos de alimentação, cinco de higiene pessoal e sete produtos de limpeza doméstica. O custo dessa cesta no mês de abril apresentou queda de 0,09% em relação ao mês anterior, registrando a importância de R$ 1.157,65.

 Quanto à variação acumulada nos últimos 12 meses, nos últimos seis meses e no ano, os índices são positivos, de 5,45%, 6,19% e 2,98% respectivamente.

 Dentre os 44 produtos pesquisados que compõem a Cesta Familiar, 23 apresentaram alta, 13 apresentaram queda de preço e oito mantiveram seu preço inalterado.

 No grupo Alimentação (32 produtos), a pesquisa constatou queda de 0,16%, registrado pelos principais produtos: cebola 7,82%; batata 6,29%; alface 4,61%; abobrinha 4,10%; manteiga 3,22%; sal 2,57%; frango 2,42%. Os produtos em alta foram: laranja 8,90%; óleo 6,08%; feijão 3,56%; tomate 2,84%; farinha de trigo 2,76%; ovos 2,52%; arroz 2,28%; leite 2,02%. Pão francês, pão doce, queijo, couve e peixe não registraram alteração de preço.

Fim e início de plantio 

De acordo com os técnicos da Semac, o final de safra da cebola, início do plantio e estoque ofertado favoreceu a queda de 7,82% do produto para o mês de abril. Já o tomate assinalou alta de 2,84%, marcada pelo final de colheita da safra de verão e menor volume ofertado em março.

 A alta de ovos é decorrente do aumento de consumo, principalmente no período de quaresma, onde o produto é mais consumido durante o ano. A cotação do produto no final de abril já apresenta uma pequena redução. 

Produtos

 O Grupo Higiene Pessoal (cinco produtos), registrou uma variação positiva de 0,09%. Os produtos que colaboraram para esta pequena alta foram: sabonete 1,30% e papel higiênico 0,45%. O produto que registrou queda foi a lâmina de barbear -0,68%. Absorvente e dentifrício não registraram alteração no preço.                

Já o Grupo Limpeza Doméstica (sete produtos) apresentou alta de 1,38%, destacando os seguintes produtos: sabão em pó 4,15%; sabão em barra 1,32% e água sanitária 1,17%. Os que registraram quedas foram: detergente 0,93%; esponja de aço 0,70% e desinfetante 0,43%. Cera em pasta não registrou alteração de preço.