Menu
Busca quinta, 13 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
34ºmax
21ºmin
Notícias

Cepea: analise do boi durante abril

19 maio 2010 - 00h00Por Cepea.

Os preços da arroba subiram no início de abril, mas recuaram no final do período, conforme pesquisas do Cepea. No acumulado do mês, o Indicador do boi gordo ESALQ/BM&FBovespa (CDI – estado de São Paulo) registrou queda de 1,3%, passando de R$ 81,99 no dia 31 de março para R$ 80,93 no dia 30 de abril.

No início de abril, o aumento nos preços da arroba esteve atrelado à forte resistência de pecuaristas para novas vendas. Na segunda quinzena do período, no entanto, os negócios efetivados nos valores maiores dos intervalos registrados pelo Cepea proporcionaram relativo aumento das escalas de abate e, com isso, alguma pressão sobre as cotações. Vale lembrar que o avanço das escalas no período não foi generalizado, sendo obtido basicamente por aquelas plantas que reajustaram os preços antes que outras. O recuo de pecuaristas e também de frigoríficos no final do mês resultou em baixa movimentação do mercado pecuário.

Para a carne negociada no mercado atacadista da Grande São Paulo, o valor médio da carcaça casada de boi teve alta de 0,39% no acumulado de abril, fechando o mês negociada a R$ 5,15/kg. A carcaça casada de boi foi sustentada, principalmente, pela valorização de 6,95% da ponta de agulha, que fechou o mês a R$ 4,00/kg. O valor médio do dianteiro caiu 2,35% no acumulado do mês, com o corte negociado a R$ 4,15/kg no final do mês. O traseiro valorizou 0,8%, a R$ 6,28/kg. No final do mês, agentes esperavam valorização nas cotações da carne, especialmente dos cortes nobres do traseiro, devido à expectativa de aumento das vendas para o Dia das Mães, o que não foi verificado.

Quanto às exportações, em abril, o Brasil embarcou 78,4 mil toneladas de carne bovina in natura, volume 2,2% menor que o de março passado e 7,87% inferior ao de abril de 2009, conforme dados da Secex.

No mercado de reposição, pecuaristas de recria e de engorda também se mostraram insatisfeitos com a atual relação de troca. Assim, muitos preferiram postergar a efetivação de novas vendas de animais ao frigorífico, na espera, principalmente, de preços maiores para a arroba.

Em abril, o animal nelore de 8 a 12 meses foi comercializado por volta dos R$ 750,00, tanto em Mato Grosso do Sul como em São Paulo. Já os negócios de boi magro continuam por volta dos R$ 1.000,00.