Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
27ºmax
19ºmin
Notícias

Castração Orgânica promete bons resultados

12 agosto 2011 - 11h30Por Adriane Zart

Com a pressão crescente dos consumidores com aspectos ligados ao bem-estar animal, a castração cirúrgica vai acabar caindo em desuso, como já acontece na maioria dos países europeus, onde esta pratica não é permitida sem anestesia prévia. Diante disso, métodos alternativos de castração não-cirúrgica serão incorporados na rotina das propriedades rurais que primam pela produção de carne de qualidade.

Motivado pela questão do bem estar animal, o médico veterinário Marcelo Vivacqua, começou a pesquisar maneiras de minimizar o estresse e sofrimento dos animais submetidos à castração convencional. Após cerca de 10 anos de pesquisas em conjunto com várias instituições de ensino (Universidade Federal de Viçosa, Universidade Estadual do Norte Fluminense e Faculdade de Castelo - ES), Marcelo desenvolveu o método de castração orgânica de mamíferos que já está sendo utilizado de forma experimental com sucesso em fazendas da região sudeste, norte e centro-oeste do país. Superando as expectativas iniciais, o método tem mostrado uma série de outros benefícios adicionais.

O principal deles é o desempenho superior em ganho de peso dos animais castrados de forma orgânica quando comparados com os castrados da maneira cirúrgica tradicional.

Aqui no MS, na cidade de Bonito, está sendo realizado um trabalho coordenado pelo médico veterinário Diogo Vivacqua de Lima na Fazenda América, do pecuarista Luiz Brito, com o objetivo de identificar o melhor peso e idade para castração. Resultados preliminares demonstraram que os animais castrados mais jovens, pesando até 360 Kg tiverem um melhor desempenho do que os castrados com cerca de 420 Kg.

Em outro experimento conduzido na Fazenda Jaop, no Espírito Santo, os animais do lote submetido à castração orgânica apresentaram um ganho de peso superior quando comparado com aquele submetido à castração cirúrgica, inclusive com um rendimento de carcaça 2% superior, gerando um lucro de 19,7 kg no peso de carcaça final de cada animal.

Resumindo, os principais benefícios desta técnica são: - Eliminação dos riscos presentes no processo convencional de castração; - Ganho de peso superior quando comparado ao processo convencional de castração; - Respeito ao bem-estar animal por não impor dor e sofrimento aos animais; - Ganho de peso similar (sem diferença estatística) aos animais mantidos inteiros em regime extensivo; - Possibilidade de castração por este método em qualquer época do ano (mesmo durante as chuvas), aproveitando-se assim da maior oferta de alimento; - Obtenção de carcaças de melhor acabamento, menos riscos de perdas por lesões motivadas pela sodomia e sem penalização pelos frigoríficos nos animais confinados, o que, em última análise, torna a castração orgânica compensadora mesmo que os animais mantidos inteiros apresentem um ganho de peso superior. Mais informações sobre a castração orgânica no site: www.stopsex100.com.br