Menu
Busca domingo, 19 de setembro de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
38ºmax
25ºmin
Notícias

Balança comercial de lácteos e indicadores para 2017

06 fevereiro 2017 - 13h53Por Scot Consultoria
Balança comercial de lácteos e indicadores para 2017

A balança comercial de lácteos terminou 2016 com déficit de US$484,52 milhões, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. O déficit aumentou 401,5% em relação a 2015. É o maior desde 2013.

Em 2016, as exportações brasileiras de produtos lácteos caíram 29,6% na comparação com 2015, totalizando 51,82 mil toneladas.

Esse desempenho sofrível pode ser explicado em função da queda da produção e da alta de preços dos produtos nacionais (menor competitividade no mercado internacional). Além disso, importantes clientes, como a Venezuela, reduziram as compras em 2016.

Já as importações aumentaram 80,6% em volume em 2016, comparado com 2015, totalizando 242,57 mil toneladas de lácteos.

A menor disponibilidade interna, com a queda na produção de leite e derivados, e as quedas de preços dos lácteos no mercado internacional na primeira metade do ano, estimularam as compras fora do país.

Indicadores para 2017

Alguns indicativos nos levam a crer que as importações de lácteos (visto como um dos pontos negativos para o setor em 2016) devem ser menores em 2017.

Apesar das recentes quedas nos preços dos produtos no mercado internacional existem sinais de recuperação das cotações, devido a menor oferta mundial.

A expectativa de melhora gradual na produção nacional também deve contribuir para o cenário.

Outro fator, o dólar, apesar das incertezas, deve permanecer em patamares acima de R$3,10 este ano, o que diminuiu a competitividade de produtos de fora do país. No entanto, este mesmo fator poderá favorecer as exportações, visto a maior rentabilidade com a venda do produto.

Ainda com relação aos embarques brasileiros, a Venezuela principal cliente do país, está com sua economia abalada devido à queda no preço do petróleo (questões econômicas), além de questões políticas, reduzindo a demanda por lácteos.

A China, após abertura do mercado para os lácteos brasileiros em setembro de 2015, ainda não comprou volumes significativos. Porém, a expectativa de queda na produção doméstica chinesa deve colaborar para incremento do volume importado pelo país, o que deve contribuir para uma demanda mundial firme.

Para 2017 a conjuntura não deverá ser diferente da de 2016, e a projeção é de que o déficit na balança comercial de lácteos continue, porém, deverá ser menor que o registrado em 2016.

Leia Também

Decreto revoga limitação de lotação em eventos, mas mantém Regime Especial de Prevenção
Coronavírus
Decreto revoga limitação de lotação em eventos, mas mantém Regime Especial de Prevenção
Mercado Externo
Arábia Saudita retoma importação de frigoríficos de MG após embargo de 10 dias
As compras haviam sido suspensas no dia 6, após a confirmação de um caso atípico do "mal da vaca louca" no Estado
Seca no rio Paraguai segue crítica e chuvas devem ser insuficientes na primavera
Meio Ambiente
Seca no rio Paraguai segue crítica e chuvas devem ser insuficientes na primavera
Expoagro: secretário Riedel e ministro do Turismo visitam feira em Dourados
Feiras & Eventos
Expoagro: secretário Riedel e ministro do Turismo visitam feira em Dourados