Menu
Busca segunda, 29 de novembro de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
30ºmax
23ºmin
TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

Associação de Angus faz primeira visita ao projeto de investimento genético da raça

A visita foi nos campos da Estação Experimental Terras Baixas (ETB), localizada em Capão do Leão (RS)

13 outubro 2021 - 11h58Por Embrapa

Um grupo de membros da diretoria da Associação Brasileira de Angus (ABA) fez uma visita oficial à Embrapa Clima Temperado, na manhã do dia 7 de outubro, a fim de conhecer o plantel de animais da raça, que fazem parte do projeto de investimento genético à pesquisa agropecuária, que viabiliza estudos técnico-científicos entre as duas instituições. Esta ação faz parte do contrato de cooperação técnica assinado recentemente na 44ª Expointer. A visita ocorreu nos campos da Estação Experimental Terras Baixas (ETB), localizada em Capão do Leão/RS.

Primeiro, o coordenador técnico da ETB, André Andres, fez uma apresentação institucional da Estação. E a seguir, o pesquisador Jorge Schafhauser mostrou os lotes de animais em diferentes áreas experimentais. “Mostramos primeiramente o desempenho desde o início da chegada dos exemplares na Estação Experimental, após mostramos um lote de animais próximo da parição de primavera, e outros três lotes, de animais prenhês com parição de outono, da raça Charolês cruzada com Angus, que fazem parte de uma avaliação de animais meio sangue do Projeto”, explicou o coordenador do Núcleo de Pecuária da Unidade de Pesquisas, o pesquisador Jorge Schafhauser Jr.

Ao percorrer o campo, o grupo de diretores da ABA recebeu uma listagem com todos os animais doados, identificando cada exemplar em seu lote, desempenho, período de prenhês, quando e de qual touro emprenharam as novilhas e quais os protocolos quimioprofiláticos foram utilizados para prevenção a Tristeza Parasitária Bovina (TPB).

Segundo Jorge Schafhauser Jr., foi um momento de relato das atividades realizadas com o rebanho  doado pela Associação à Embrapa, a apresentação do seu desempenho e também o levantamento de novas demandas do setor. “A maioria dos animais estão prenhês, com início de parição programada para março de 2022, quando essas crias passarão a ser avaliadas dentro dos sistemas de ILP”, disse.

O diretor de Fomento da ABA, Mateus Pivatto, disse que é a primeira visita desde o início das tratativas da parceria, cujas ações estão ocorrendo há cerca de seis meses. “Nossa satisfação está em ter um plantel experimental através desta parceria, que contou com a articulação e boa receptividade do Núcleo Sudeste de Criadores da raça Angus, e que trará resultados num âmbito nacional, mas com o desenvolvimento imediato para esta região, tendo ciência que os ciclos são longos para obtenção de resultados para pecuária de corte”, destacou. 

Para ele, o importante é ver os animais da raça pertencendo a esta atividade, engajando produtores que investem e possuem tecnologia de ponta para produção pecuária da região. “Pretendemos formar um Núcleo de 150 fêmeas Angus, registradas dentro da Embrapa, que depois irá seguir a produção do rebanho, fazendo genética e gerando novos conhecimentos”, disse.

A presidente do Núcleo Sudeste de Criadores da raça Angus, Claudia Ferreira Talavera Campos, disse que ao ver os animais doados ao estudo, adaptados ao ambiente dos campos experimentais da Embrapa e a apresentação de dados do seu desempenho, é uma forma de reforçar o potencial que a raça Angus. “Fizemos toda a articulação com o grupo de criadores da raça que respondeu de maneira positiva ao projeto”, comentou.

Neste dia 8 de outubro, a Embrapa recebeu mais dez exemplares da raça, oriundos da propriedade de Clóvis Gonçalves, em Jaguarão. O Projeto já havia recebido 50 animais doados de Santa Vitória do Palmar. O estudo tem duração de cinco anos.