Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
24ºmax
19ºmin
Notícias

Abrafrigo critica nova estratégia de vendas da JBS

18 dezembro 2009 - 00h00Por Abrafrigo - Estadão

A Abrafrigo (Associação Brasileira de Frigoríficos) criticou a nova estratégia de comercialização de carne do Grupo JBS/Friboi -vender de porta em porta. Segundo o presidente da entidade, Péricles Salazar, o objetivo do modelo é submeter os pecuaristas e reduzir a concorrência nas vendas de carnes, “prejudicando milhares de empregos nos açougues e pequenos frigoríficos municipais”.

Ele argumenta que grupo é responsável por 12% nas vendas de carnes no mercado interno e quer expandir ainda mais sua participação. "Como o mercado externo não tem reagido bem, o JBS/Friboi quer crescer mais no Brasil, mas à custa dos pequenos negócios e dos empregos que geram", disse o dirigente.

A JBS/Friboi anunciou há alguns meses que iria fazer um teste piloto com este tipo de comercialização, que utiliza vans refrigeradas, em cidades de porte médio do interior de São Paulo. A frota é composta de 250 veículos que anunciam sua chegada com uma música que está se tornando familiar para as donas de casa destes locais e também realizam a entrega carnes sob encomenda.

A intenção anunciada pela empresa é estender o sistema para todo o país, com uma frota de 10 mil vans refrigeradas circulando.

"O pior é que tudo isso está sendo financiado pelo governo federal, via BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social]. Como pode o BNDES, sócio da empresa, bancado com dinheiro do povo, com o seu silêncio e passividade, concordar em prejudicar milhares de empregos e pequenos negócios espalhados por todo o Brasil ?", questiona o Presidente da Abrafrigo, Péricles Salazar. "Está na hora do Governo por um fim a estes absurdos", reivindica.

Como nos tempos antigos - O JBS/Friboi está voltando à época dos carros com alto-falantes para vender sua carne, de porta em porta, no interior de São Paulo. Em Andradina, os 60 mil moradores tinham se esquecido dos antigos carros de som que ofereciam, em alto volume, verduras e frutas, quando há cerca dois meses começaram a surgir as vans do frigorífico anunciando a venda de vários cortes de carne bovina.

"Todos os dias neste mesmo horário, nesta mesma rua, passamos vendendo as melhores carnes em domicílio", anunciava uma das cinco vans que circulam pela cidade. A motorista, que se identificou como Camila, disse que ao fim do dia entregaria entre 250 e 300 quilos de carne. "A pessoa pode comprar na hora ou encomendar pelo celular, mas é melhor pedir de manhã, porque de tarde já não tem mais".

Uma das compradoras, a dona de casa Maria Jorge Bastos, 57 anos, comprou sete quilos de três cortes para fazer o churrasco de seu aniversário. "Vale à pena, a gente recebe a carne em casa. Se eu fosse correr atrás nos açougues ia demorar muito e minha organização da festa ficaria atrasada", diz. As carnes vendidas nas vans são de bois abatidos na unidade do Friboi em Andradina ou da marca Maturatta, própria para churrasco.