Menu
Busca segunda, 08 de março de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
30ºmax
20ºmin
Notícias

A ABCZ para todos, por Paulo Machado Borges

18 agosto 2016 - 00h00

Em 1º de agosto deste ano, aconteceu em Uberaba a eleição da nova diretoria da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu. Esta data vai ficar marcada como o maior acontecimento político na história do Head Book Zebu, da Sociedade Rural do Triângulo Mineiro e da atual ABCZ. O candidato da oposição, Arnaldo Manoel de Souza Machado Borges, venceu toda a atual diretoria do presidente Luís Cláudio Paranhos com apoio apenas de seus amigos zebuzeiros.

Arnaldinho é neto de Rodolfo Machado Borges, que, juntamente com seus irmãos Joaquim, José, Vigilato e João, em 19 de julho de 1934, na casa do tio Joaquim, incorporou o Head Book Zebu à Sociedade Rural do Triângulo Mineiro (SRTM), dando a esta entidade recém-criada a capacidade de decolar e representar a classe ruralista do Triângulo Mineiro no país. Após muitas décadas, a SRTM não representava mais os anseios de seus fundadores e, em 1967, por força de um decreto do presidente Castelo Branco, a entidade recebeu o atual nome de Associação Brasileira dos Criadores de Zebu.

O gado indiano, que foi importado da Índia no início do século passado, esparramou-se por todo o território nacional. Hoje, são mais de 200 milhões de cabeças de zebuínos de origem indiana no Brasil.

Em 2013, a candidatura de Arnaldinho à presidência da ABCZ foi lançada por amigos mineiros. O presidente da ABCZ na época, Eduardo Biagi, já havia convidado Luís Cláudio Paranhos, membro de sua diretoria, para sucedê-lo. Ciente do lançamento de Arnaldinho, o presidente Eduardo Biagi o procurou e fizeram um acordo de cavalheiros, de que ele cederia espaço a Luís Cláudio, mas figuraria em sua chapa como vice-presidente e na próxima eleição ele seria o candidato natural da ABCZ. Em agosto de 2015, quando viajava para a Bolívia, Luís Cláudio e José Olavo entraram em contato com todos os membros da diretoria por telefone ou pessoalmente e lançaram o nome de Frederico Cunha Mendes, filho do ex-presidente José Olavo, à presidência da ABCZ. Chegando da Bolívia, Arnaldinho sentiu que o acordo firmado entre ele, Eduardo Biagi e Luís Cláudio não foi respeitado. Em reunião da atual diretoria, Arnaldinho comunicou a todos que ele não aceitava a quebra do acordo de cavalheiros e comunicou a esta diretoria que seria candidato à presidência na eleição do próximo ano de 2016. A atual diretoria é composta de grandes empresários e figurões da classe zebuína da pecuária nacional.

São em torno de 100 pessoas, entre presidente, vice-presidentes, diretores, que são em número de 15, representantes estaduais – 3 em cada Estado da União e Distrito Federal, e, mais ainda, conselheiros e a máquina da entidade numa sociedade milionária. É incrível que Arnaldinho, apenas com seu prestígio pessoal e de amigos, conseguiu vencê-los. A eleição na ABCZ na cidade de Uberaba envolve famílias apaixonadas nesta disputa. Os Machado Borges, sem exceção, apoiaram Arnaldinho. Os Borges de Araújo e outros mais, divididos nesta eleição, os Cunhas e Mendes, que representam a família do Sr. Torres Homem Rodrigues da Cunha, não tenho certeza de que todos apoiaram o seu neto Frederico  Cunha Mendes. Esta eleição é de nível nacional, pois tem repercussão em todos os Estados e Distrito federal, e realizá-la envolve um grande desgaste físico e financeiro de seus participantes. Após inúmeras eleições com grande desrespeito à oposição, na ABCZ atualmente a eleição é justa, razão pela qual Arnaldinho conseguiu derrotar toda uma diretoria que vem, há 20 anos, comandando os destinos da classe zebuína. Arnaldinho não fazia parte do grupo que está no poder e é evidente que a sua eleição provocaria muitas reformas no quadro de associados da classe na diretoria. Esta é a razão de toda a diretoria ter somado contra um candidato de abertura política e com o slogan “ABCZ para todos”. Estes são os meus esclarecimentos sobre a eleição de 1º de agosto de 2016, que elegeu Arnaldo Manoel de Souza Machado Borges para o período de 2016 a 2019. Convido aos eleitores que votaram em Arnaldinho para prestigiar a sua posse e de sua diretoria no dia 31 de agosto de 2016, uma quarta-feira à noite, no tatersal Rômulo Kardec de Camargosda ABCZ em Uberaba.

Atenciosamente,

Paulo Machado Borges