Menu
Busca segunda, 27 de setembro de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
34ºmax
22ºmin
Expogrande

Programação técnica marca participação da Embrapa na Expogrande

02 abril 2018 - 18h43Por Dalízia Montenário | Embrapa

No ano em que a Exposição Agropecuária de Campo Grande - Expogrande completa 80 anos, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) leva ao Parque de Exposições Laucídio Coelho uma agenda diversificada e técnica, direcionada a produtores, estudantes e extensionistas. A feira acontece entre os dias 5 e 22 de abril em Campo Grande (MS).

O 1º Fórum Rural Brasileiro - riscos e oportunidades para o futuro do campo abre a programação no dia 6, sexta-feira. Com inscrições gratuitas, os participantes terão um espaço para debater “os valores e a importância do agro brasileiro, as oportunidades para o desenvolvimento sustentável e a necessidade de se manter a pesquisa agrícola com foco nas demandas do setor e da sociedade. Além de, fundamentalmente, ser um estímulo para o produtor atentar-se à gestão da propriedade, com um olhar nos investimentos para elevar a produtividade, a qualidade de vida de funcionários e o cumprimento de legislações vigentes”, define Luiz Orcírio Oliveira, um dos responsáveis pelo Fórum e pesquisador da Embrapa. 

Parceiros, Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) e Embrapa trarão para o evento palestrantes como Cleber Oliveira Soares (Embrapa), Eduardo Riedel (Governo do Estado de Mato Grosso do Sul), Ana Amélia de Lemos (senadora/RS), Marcos Derzi (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste/Sudeco), Xico Graziano (engenheiro agrônomo e articulista) e Roberto Coelho (produtor rural).
 
Orcírio destaca que por ser a Expogrande a mais tradicional feira agropecuária do Estado é um momento ímpar para o encontro de produtores, em busca de novas tecnologias, insumos, máquinas e implementos e agora discussões sobre o futuro do setor.

Ovinocultura - O 16º Simpósio Sul-Mato-Grossense de Ovinocultura é realizado no dia 7 de abril, com o tema “Atualidades na seleção animal – como e para quê?”. “Já fizemos uma abordagem sobre melhoramento genético no ano passado e queremos mostrar ao ovinocultor que melhorar seu plantel não é somente possível, como também é uma meta para atingir seus objetivos como criador”, afirma um dos coordenadores, Fernando Alvarenga Reis.
 
Ele explica que essa mudança passa pela profissionalização, na qual é viável evoluir em número e qualidade de rebanho e comercializar com maior valor agregado e coletivamente. Para atestar tais objetivos, as apresentações são ao redor de assuntos como registro genealógico, características genéticas e seleção animal. Entre as palestrantes, Dayanne Martins Almeida, zootecnista radicada na Nova Zelândia, especializada em genética de alta performance. Almeida é gerente de pesquisa e desenvolvimento na Fazenda Wairere, uma das principais fornecedoras de genética ovina no País.
 
Segundo Reis está confirmada ainda a participação de duas comitivas. Uma composta por oito criadores da Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos no Espírito Santo (ACCOES) e outra organizada pela empresa Cordeiros da Amazônia S/A. Ele integra ao lado do também pesquisador José Alexandre Agiova da Costa o Núcleo Regional Centro-Oeste de Ovinocultura da Embrapa, sediado na Capital. O Simpósio é uma realização da Associação Sul-mato-grossense de Criadores de Ovinos (Asmaco) e Embrapa. 
 
Palestras - Por mais um ano, o Ciclo de Palestras está na Expogrande no dia 11, a partir das 14 horas. Já consolidado, pesquisadores abordarão o período da seca, com a intensificação do sistema de produção e o confinamento. O melhoramento genético estará na pauta com os critérios de seleção e o cruzamento para a produção de novilhos precoces.
 
Os especialistas Luiz Orcírio Oliveira, Sérgio Raposo, Leonardo Nieto e Gilberto Romeiro Menezes pretendem levar ao público informações técnico-científicas que reforcem a viabilidade de se produzir mais com menos, tornando os sistemas eficientes e sustentáveis.
 
Para a coordenadora do Ciclo, Thaís Basso, a realização de eventos técnicos, nesses moldes dentro da Expogrande, é mais um caminho para aproximar a pesquisa rural do produtor. A pesquisadora lembra que as vagas são gratuitas, porém limitadas.
 
Outro reforço de Basso são os parceiros na construção desses três encontros: Governo do Estado de MS, Sistema Famasul, Arco (Associação Brasileira de Criadores de Ovinos), UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), ABS, Zoomix, Servsal, Leiloboi, Senepol San, BRPec e Canal do Boi. 
 
A inscrição é gratuita.