Menu
Busca domingo, 28 de fevereiro de 2021
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
33ºmax
21ºmin
Expogrande

Governador debate reformulação do Leitão Vida com representantes da cadeia produtiva, na Expogrande

10 abril 2018 - 23h14Por Kelly Ventorim | Semagro
O Programa Leitão Vida, que após 25 anos passa por uma reformulação a partir do trabalho da Câmara Setorial da Suinocultura, gerida pela Semagro, foi tema do encontro do Presidente da Associação Sul-mato-grossense dos Suinocultores, Assumas, Celso Philippi Junior, o Secretário Jaime Verruck e o Governador Reinaldo Azambuja, no gabinete itinerante do Governo do Estado montado no Parque de Exposições Laucídio Coelho, onde acontece mais uma edição da Expogrande.
 
Nos últimos três anos o abate de suínos dobrou, fruto do trabalho de fortalecimento da atividade realizado conjuntamente pelo Governo do Estado e o setor privado. A afirmação é do Governador Reinaldo Azambuja que destacou a importância do incentivo ofertado através do programa Leitão Vida.
 
 
Reinaldo comentou que no próximo dia 18 de maio, num grande encontro de suinocultores em Dourados, será assinado o acordo de monitoramento ambiental, resultado do compromisso do Governo do Estado com as demandas apresentadas pelos suinocultores do Estado e com as questões sanitárias.
 
Ao destacar a preocupação com as questões sanitárias Reinaldo lembrou os problemas enfrentados não só pelos bovinocultores mas também suinocultores quando da ocorrência de casos de aftosa no passado e a importância do trabalho constante de monitoramento realizado pela  Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro). “Agora nós somos um Estado área livre de febre aftosa com vacinação, caminhando para o status de área livre ‘sem vacinação’. A preocupação com a sanidade é o item numero um para todos nós”.  Completou.
 
Jaime destacou que, junto com a sanidade, a sustentabilidade é também um dos itens mais debatidos pela equipe da Câmara Setorial, responsável pela reformulação do programa. “Até então premiávamos apenas a produção e a produtividade. Com a reformulação, vamos agregar atributos de qualidade especialmente voltados ao atendimento de requisitos em saúde animal, em biossegurança, sustentabilidade ambiental, bem estar animal e associativismo”. Explicou.
 
Segundo Jaime, com a nova roupagem os estabelecimentos participantes serão classificados como simples, intermediário e avançado, e a premiação passará a levar em conta o maior número de pré-requisitos cumpridos, exemplo disso, o proprietário que possuir biodigestores, e fizer a utilização de biometano na produção de energia.
 
Ao reforçar o convite e a importância da participação do Governador Reinaldo e o secretário Jaime Verruck, na programação do Fórum de Desenvolvimento da Suinocultura de Mato Grosso do Sul, que acontece no dia 18 de maio, em Dourados, durante a 54ª Expoagro no auditório do Parque de Exposições do Sindicato Rural, Celso destacou que estarão em debate o mercado de suínos, a sustentabilidade da atividade, a reformulação do programa Leitão Vida e também acontecem atos em comemoração dos 25 anos da Associação Sul-mato-grossense de Suinocultores, a Assumas.
 
Reformulação do Programa Leitão Vida em debate
Também participaram da reunião o Secretário de Estado Eduardo Riedel (Gestão Estratégica), o Presidente da Aprosoja, Juliano Schmaedecke, o Presidente da Famasul, Mauricio Saito e ainda acompanhando Celso, Nilton Hillesheim e Cid Sinamore, produtores e membros da Assumas.
 
Em Mato Grosso do Sul são abatidos anualmente próximos de 1,8 milhão de cevados (suínos prontos para o abate), destes cerca de 90% são processados aqui mesmo no Estado pelas indústrias Aurora, de São Gabriel e Seara Alimentos, de Dourados.  
 
Apenas uma pequena parte dessa produção, em torno de 300 a 400 mil animais, é exportada anualmente para os Estados de São Paulo e Minas Gerais.
 
Fazem parte do Programa Leitão vida hoje, 250 granjas suinícolas, tendo cadastradas 60 mil das 70 mil matrizes existentes no Estado.  
 
Todo trabalho de reformulação está sendo realizado de forma a auxiliar os produtores a atenderem as novas adequações de compartimentalização, que serão implementadas em breve pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.