Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
27ºmax
19ºmin
Expogrande

Expogrande tem opções gastronômicas para agradar todo tipo de paladar

16 abril 2013 - 20h22Por Aline Araújo/Via Livre/Assessoria da Expogrande

A gastronomia sempre foi um ponto forte da Expogrande. Por ser um lugar de lazer da família campo-grandense não poderiam faltar opções de comidas para serem saboreadas. Além das já tradicionais barracas de pastéis, cocadas, churros, sorvetes e pipoca a feira também tem estandes de sushi, churrasco, acarajé e muitas outras opções.

 
Os amantes da comida oriental têm a opção de escolher entre o rodízio completo no valor de R$ 35,80 e o rodízio simples que custa R$ 28. Para Tereza de Carvalho responsável pelo espaço do Sushi Express, a expectativa para o primeiro ano de participação na feira é boa. “Nós já temos um público fiel que nos acompanha e nos primeiros dias de Expogrande tivemos um ótimo movimento, a tendência é só melhorar” frisou. 
 
Mas não tem pra ninguém, o carro chefe entre as opções de comidas da exposição ainda é o pastel. O que não faltam é opções de barraquinhas que vendem a iguaria que já faz parte da cultura gastronômica de Campo Grande. Na pastelaria Papa-léguas, que participa da feira há 10 anos, fica evidente o sucesso do pastel, apesar de outras opções como lanches e churrasco o mais vendido ainda é ele, o de queijo é o campeão. Cada pastel custa R$ 4. O proprietário da barraca, Anastácio França de Almeida, estima que o lucro seja de cerca de R$ 2 mil 300. Para ele, “os shows mudam totalmente a cara da Expogrande” principalmente pra quem trabalha com alimentação. 
 
Em uma feira agropecuária não poderia faltar o sabor do churrasco. O restaurante Gaucho Gastão montou um estande para servir refeições na hora do almoço e do jantar com todo o tempero da comida gaúcha. Já faz três anos que a marca participa do evento, além das refeições que tem a média de preço de R$ 45, o estande ainda oferece um espetinho vendido por R$10, com arroz, mandioca e vinagrete. Além da famosa costela, marca do restaurante há 26 anos. Para o gerente Marcos Frandoloso, a Expogrande, mesmo sendo um trabalho diferenciado, é uma vitrine eficiente pra mostrar o que o restaurante oferece. 
 
Quem gosta ou quer conhecer a carne de ovinos, a Asmaco (Associacao Sulmatogrossense de Criadores de Ovinos América em Campo Grande.), montou um restaurante que serve porções no valor de R$ 15 para quem deseja saborear a iguaria. “Nosso objetivo foi oferecer uma carne de ovinos de qualidade para que as pessoas possam conhecer e saborear” contou a primeira secretária da Asmaco, Ana Cristina Andrade. 
 
O sabor baiano também está presente na 75ª Expogrande. O estande Tapioca da Bahia traz para a feira todo o sabor da tapioca e do acarajé feitos por uma legítima baiana. “O acarajé é igual em qualquer estado desde que seja feito por uma baiana”, observou Lener Silva, a baiana que prepara as iguarias vendidas por R$8 durante a feira.  
 
Hora do doce
 
Mesmo com o clima um pouco frio, os sorvetes ainda fazem sucesso na festa, com preços que vão R$ 2 a R$ 7 no quiosque da sorveteria G3, um dos tantos que fazem a alegria dos apreciadores da doce gelado. Para Ligia, proprietária da sorveteria, a exposição é um lugar onde a família vai passear o que favorece a venda. “Sair para tomar sorvete é um programa de família, faz bem”, brinca. 
 
Os que preferem um sabor mais característico do evento podem procurar um dos quiosques de doces da “Cocada e Cia” que estão espalhados pelo parque. A proprietária, Lenita Andrade, conta que já são 32 anos de presença na Expogrande. Cocada, quebra-queixo, pé-de-moleque e brigadeiro estão entre as opções que tem preço único, R$3 a unidade. Lenita, que vem de Ponta Porã, garante que todos os quitutes são caseiros e fresquinhos.