Menu
Busca sexta, 07 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
30ºmax
18ºmin
Expogrande

Expogrande é um dos eventos que mais movimenta o comércio da capital, diz Maia

24 fevereiro 2010 - 18h27Por Jefferson da Luz - Via Livre Comunicação.

“Depois do Natal, da Páscoa e do Dia dos Namorados, a Expogrande é a época que mais movimenta o comércio em Campo Grande”. A afirmação é do presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Francisco Maia.

Segundo ele, é muito grande o impacto econômico que a feira tem sobre a capital. Hotéis, restaurantes e táxis são alguns dos segmentos citados por Maia como os que mais têm suas rotinas alteradas para melhor nos dias do evento. Além disso, ele lembra que as centenas de expositores e shows geram milhares de empregos diretos e indiretos; que contratam de pedreiros a modelos.

Quanto a sua expectativa para a feira deste ano, Maia destaca que é uma das melhores possíveis, pois, além do país estar se recuperando velozmente da crise financeira internacional de 2009, a produção agropecuária brasileira vem com força em 2010.

“Teremos a segunda maior safra de todos os tempos, a arroba do boi vem reagindo nos últimos meses, tudo isso indica que o produtor vai investir mais no seu negócio e a Expogrande é o lugar para ele fazer isso”, comenta.

Questionado a respeito da internacionalização da feira, Maia justificou a iniciativa dizendo que é o maior evento de comercialização de gado de corte do mundo e que Campo Grande é uma cidade estratégica para o Mercosul (Mercado Comum Sul). “Nós somos a Meca do gado de corte”, ressalta. 

As raças - Os criadores de animais de elite são os mais entusiasmados com a Expogrande. Amadeu Alvin, criador de Canchim, trará dez exemplares para a feira e espera que os resultados se reflitam durante o ano todo. Desde o fim do ano passado, ele já está dispensando cuidados especiais para os animais que vai trazer.

“A feira é como se fosse um cartão de visitas. A gente vem e faz propaganda do que tem, e o reflexo disso podemos sentir ao logo do ano”, comenta Alvin, ressaltando que espera fazer bons negócios. “O produtor vive de esperanças. Sempre acredita que este ano vai ser melhor do que o ano passado”, acrescenta.