Menu
Busca segunda, 03 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
31ºmax
18ºmin
Pecuária

Panorama das exportações fortalece setor da pecuária em MS

15 outubro 2010 - 00h00Por Sato comunicação

 Com um rebanho de 20 milhões de cabeças – terceiro maior do País, atrás de Mato Grosso e Minas Gerais – Mato Grosso do Sul tem motivos para enaltecer sua produção bovina neste Dia Nacional da Pecuária, comemorado ontem 14 de outubro. De janeiro a agosto, quando foram abatidos 2,1 milhões de animais no Estado, as exportações de carne in natura renderam US$ 314 milhões aos cofres do Estado, 26,1% a mais do que os US$ 232 milhões faturados no mesmo período do ano passado. 

 
Em volume, o crescimento não foi tão significativo. Nos dois primeiros quadrimestres do ano passado o Estado exportou 81 mil toneladas, quantidade que subiu para 83 mil em 2010. O que justifica o aumento no montante obtido com as exportações foi a mudança de rota da carne sul-mato-grossense. A Rússia foi o principal comprador em 2008 e 2009, absorvendo 46,7% e 44,9% da carne destinada ao mercado externo, respectivamente. Este ano comprou apenas 26,5%, perdendo espaço para o Irã, que se tornou o principal destino da carne in natura exportada pelo Estado, absorvendo 30,8%. 
 
Os percentuais mostram que a justificativa para o aumento no valor das exportações obtido com a carne está mesmo no preço pago pelo produto.  “Estamos exportando mais para países que pagam um preço melhor pela nossa carne”, explica a assessora para a área da pecuária da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Adriana Mascarenhas. “Somente em agosto, o preço pago pelo Irã pela carne foi 27% maior do que o pagamento russo”, complementa. A análise considera também o terceiro país no ranking de importadores do produto, o Egito, que também valoriza mais a carne sul-mato-grossense.

            Outro número que também mostra a força da pecuária de Mato Grosso do Sul é o aumento de 82,3% no volume das exportações de carne suína in natura, o que resultou num incremento de 184,8% na receita obtida com o produto no acumulado do ano até agosto. Com a escassez de carne bovina e o aumento da demanda externa, a previsão é de que a carne suína continue em alta. Os principais importadores de suíno de MS são Argentina, Ucrânia e Singapura.