Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
29ºmax
23ºmin
Notícias

Trânsito livre na ZAV é evolução com consciência sanitária, diz Iagro

29 outubro 2009 - 00h00Por Seprotur

Campo Grande (MS) – Com forte atuação na manutenção do status de área livre de febre aftosa com vacinação, conquistado em julho do ano passado, Mato Grosso do Sul deu mais um importante passo na segunda-feira (19). Desde então, o trânsito de animais na Zona de Alta Vigilância (ZAV) está liberado para todas as categorias, inclusive dentro do período de vacinação do rebanho.

     “A liberação do trânsito representa uma evolução para o Estado, mantendo-se a preocupação com as condições sanitárias da região. Com a liberação do trânsito, as medidas de controle tornam-se mais flexíveis, mas permanecem eficientes”, afirma Roberto Bacha, diretor-presidente da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro).

     O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) determina que, durante o período de vacinação contra aftosa, o trânsito de animais seja suspenso. Porém, na ZAV, a aplicação das doses é feita pelos técnicos da Iagro, garantindo a eficácia do procedimento.

     “Por conta da aplicação da vacina pelo serviço oficial, existe uma programação, que pode prejudicar alguns produtores rurais. A liberação do trânsito representa um ajuste de conduta, possibilitando vacinar concomitantemente ao transporte de animais”, explica Bacha.

     Para transportar animais, é preciso procurar os escritórios da Iagro para emissão do Guia de Trânsito Animal (GTA), que serve para o trânsito intra-ZAV e para fora da região. Os proprietários de animais que saírem da área de controle sanitário sem a GTA serão autuados por colocarem em risco a saúde e o bem-estar do rebanho de Mato Grosso do Sul.

     Em caso de suspeita de trânsito irregular os animais serão destinados ao abate sanitário ou sacrifício. Em caso da não apresentação da GTA com carimbo da fiscalização, os animais serão creditados na Ficha Sanitária somente após a contagem oficial do rebanho e tomadas às medidas necessárias e exigidas para o caso.

     A ZAV é composta por 6.000 propriedades em 13 municípios, na faixa de fronteira com Paraguai e Bolívia. Mais informações no endereço www.iagro.ms.gov.br