Menu
Busca quarta, 02 de dezembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
33ºmax
23ºmin
Mercado

Rebanho fecha parceria com a CRI

19 março 2010 - 00h00

Rebanho Assistência Veterinária e CRI Genética, formam a mais nova parceria na área de reprodução animal em Mato Grosso do Sul. Há um ano, as duas trabalham juntas para oferecer o que há de melhor em genética aos produtores do Estado.

A CRI (Cooperative Resources International) foi a primeira cooperativa americana e hoje atua no mundo todo. Seu principal produto é sêmen, principalmente das raças Angus, Holandesa, Jersey e Pardo Suíço, todos de linhagem americana.        

“Desde que deixamos de representar a Sersia Brasil estávamos em busca de uma empresa para firmarmos nova parceria. Tinha de ser uma empresa com a mesma filosofia de trabalho que a nossa, e a CRI encaixou-se perfeitamente naquilo que procurávamos”, disse Armando Pereira da Silva, proprietário da Rebanho.

Segundo ele, com o apoio recebido foi possível dar continuidade a todos os projetos que a Rebanho vinha desenvolvendo com seus cliente e parceiros. Entre eles Pereira destaca o Grupo de Produtores de Leite e o Grupo Padrão de Qualidade em Rebanhos Avaliados.  “É muito bom estar junto a uma empresa na qual você pode confiar.

A CRI tem um projeto dinâmico e organizado o que nos dá segurança e tranquilidade em trabalhar, dessa forma podemos garantir os resultados de nosso trabalho”, disse. De acordo com Pereira, a alta tecnologia empregada na industrialização do sêmen, tanto o sexado quanto o convencional, faz com que se tenha bons resultados quando usados em IATF (Inseminação Artificial por Tempo Fixo).  “Os índices que temos conseguido com essa técnica impressionam.

O que nos ajuda, e muito, em abrir e consolidar o mercado. Dá resultado e nos deixa satisfeito”, ressalta. Sedimentando a parceria Como no Brasil grande parte do rebanho é composta por animais da raça Nelore, a CRI está trabalhando para aumentar com qualidade seu plantel de exemplares da raça.

E, para tanto, conta mais uma vez com a parceria da Rebanho. “Juntos estamos garimpando a melhor genética Nelore, a partir das avaliações geradas pelo Programa Nelore Brasil da ANCP, como também pelo Grupo Padrão de Qualidade em Rebanhos Avaliados para uma possível contratação pela central CRI.

Hoje, inclusive conta com os melhores exemplares da bateria de touros da Nelore CEN, de Carlos Eduardo Novaes, revela”. Pereira finaliza reforçando que a qualidade do sêmen, organização, credibilidade e o dinamismo da CRI certamente farão a diferença no mercado sul-mato-grossense.