Menu
Busca sexta, 07 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
30ºmax
18ºmin
Notícias

Projeto da Embrapa Cerrados deve definir manejo eficaz para nematóides

25 novembro 2009 - 00h00

Causadoras de grandes prejuízos na agropecuária brasileira, as infestações com nematóides das lesões radiculares (gênero Pratylenchus) poderão ter seus impactos reduzidos. Começa em janeiro um projeto de pesquisa coordenado pela Embrapa Cerrados que pretende propor alternativas para o manejo eficaz desses vermes que vivem no solo e atacam as raízes das plantas. O estudo deve ainda caracterizar esse problema na região do Cerrado, especialmente em Goiás, Mato Grosso, Distrito Federal e Bahia. Embora produtores rurais relatem perdas de 30 a 50% causadas pelo patógeno, as técnicas que atualmente são utilizadas para controlar o problema não apresentam resultados satisfatórios.

Segundo o pesquisador da Embrapa Cerrados, Alexandre Goulart, líder do projeto, o problema é complexo e, por isso, exige um tratamento à altura. “Será preciso reunir várias estratégias para que elas, em conjunto, tenham sucesso”, explica. Para estabelecer esse rol de técnicas de manejo, os estudos serão interdisciplinares. Por quatro anos, a incidência de nematóides será avaliada em várias safras das culturas de soja, feijão, milho, algodão e algumas forrageiras, como as brachiárias.

A partir da observação de variáveis bióticas e abióticas – como a microbiologia, as características físicas e químicas do solo, entre outros fatores –, deverá ser feito um diagnóstico inédito da situação. Alexandre explica que então será possível conhecer e monitorar os fatores que têm relação com a infestação com nematóides. “A ideia é conhecer a gravidade do problema”, acrescenta. Nessa etapa, serão avaliados dados como, por exemplo, se há interações entre os nematóides e os fungos de solo.

Conforme os pesquisadores reúnam mais informações sobre a doença, será possível estudar a indicação de técnicas de manejo do patógeno. Serão avaliados vários sistemas de produção: plantio direto ou convencional, integração lavoura-pecuária, rotação e sucessão de culturas, entre outros. Nesse sentido, serão conduzidos experimentos nas unidades da Embrapa e também em propriedades de produtores rurais que enfrentam a infestação com os vermes. O projeto inclui também a seleção de variedades de diversas culturas que tenham maior resistência aos nematóides.

Ao contrário de outras doenças, como a ferrugem asiática, para o combate a nematóides não há produtos químicos eficientes e economicamente viáveis para aplicação em larga escala. Além disso, caso não seja feito algum controle, a população do patógeno aumenta gradativamente e os problemas se acumulam. Outra dificuldade enfrentada pelos produtores é que os vermes causadores da doença não são visíveis a olho nu. Por isso, os sintomas da doença se confundem com outros problemas, como a falta de algum nutriente. Somente uma análise de laboratório pode confirmar uma infestação.

Participam desse projeto 48 pesquisadores. Eles são da Embrapa Cerrados, Embrapa Agropecuária Oeste, Embrapa Arroz e Feijão, Embrapa Gado de Corte, Embrapa Mato Grosso, Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Embrapa Soja, Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Jaboticabal e Universidade de São Paulo (USP), além de outras instituições e empresas.

Serviços - Produtores que enfrentam problemas com nematóides em suas propriedades e têm interesse em contribuir na pesquisa podem procurar a Embrapa Cerrados por meio do e-mail [email protected] ou telefone (61) 3388-9933. As informações são de assessoria de imprensa.