Menu
Busca quarta, 12 de agosto de 2020
Busca
(67) 99826-0686
Campo Grande
33ºmax
20ºmin
Notícias

Produção de 72% dos assentados não gera renda, diz CNA

14 outubro 2009 - 00h00Por O Popular

Pesquisa divulgada nesta terça-feira (13) pela Confederação Nacional da Agricultura (CNA) mostra que 72,3% dos assentados dizem não produzir o suficiente para gerar renda familiar. Cerca de 60% dos assentamentos são produtivos, mas apenas 27,7% produzem o necessário para o consumo da família.

De acordo com o levantamento, 49% da renda dos assentados vêm de atividades diversas à produção rural. Segundo a CNA, parte da renda é complementada com Bolsa Família, pensões, aposentadorias ou trabalho assalariado.

A pesquisa encomendada pela confederação ao Ibope revela ainda que 37% das famílias que vivem em assentamentos da reforma agrária têm renda mensal de, no máximo, um salário mínimo. Para o levantamento, foram pesquisados mil domicílios em 9 assentamentos localizados em diferentes estados.

Analfabetismo
O levantamento também mostra que entre os chefes de família nos assentamentos, 68% é analfabeto ou completou apenas a 4º série. A taxa de analfabetismo no Brasil é de 9,9%, segundo a última pesquisa do IBGE. Ainda de acordo com o levantamento da CNA, 19% dos assentamentos contam com mão-de-obra infantil.

Incra
O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) contestou a pesquisa, dizendo que num universo de um milhão de assentados, consultar apenas mil domicílios não reflete a realidade.

O presidente do Incra, Rolf Hackbart, citou o último Censo Agropecuário, feito pelo IBGE, segundo o qual a agricultura familiar, na qual se inserem os assentamentos, produzem 40% do valor bruto da produção gerada no país.

Ele também contestou o dado do levantamento da CNA de que 75% dos assentados não têm acesso ao crédito oferecido pelo Programa Nacional da Agricultura Familiar (Pronaf). Segundo Hackbert, entre 2003 e 2008 foram disponibilizados R$ 4 bilhões em crédito para moradia e instalação de famílias.