Menu
Busca segunda, 26 de outubro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
27ºmax
22ºmin
Notícias

Prejuízo com javali será debatido dia 23 na Assembleia

16 setembro 2010 - 00h00Por Fernanda França / Campo Grande News

As perdas nas lavouras causadas pelos javalis no Estado e as ameaças com o crescimento desordenado do número de animais serão debatidos em audiência pública marcada para o dia 23 de setembro, às 14h, na Assembléia Legislativa.

As discussões são resultado da reunião realizada pela Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária) no último dia 10, em Rio Brilhante, região mais atingida pelos ataques. A expectativa é que algum resultado saia desta audiência como forma de amenizar o problema causado pelo javali, tendo em vista que seu abate é proibido pelos órgãos ambientais.

Serão convidados o Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente), a Seprotur (Secretaria de Produção), Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), sindicatos e produtores rurais.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Rio Brilhante, Leonardo Mendonça Thomaz, estima-se que os proprietários rurais já tenham tido um prejuízo em torno de R$ 1 milhão. “É muito mais do que um problema econômico, é um desequilíbrio ambiental, ecológico. Realmente, é muito preocupante”, enfatiza.

De origem européia, o javali era usado apenas para a caça esportiva, mas acabou cruzando com outras espécies predadoras e se tornou uma verdadeira praga. Com hábitos noturnos, o javali é considerado um animal invasor e pode causar problemas às espécies nativas, aos seres humanos, ao meio ambiente e, principalmente, às lavouras agrícolas.

Outro receio está relacionado com a sanidade, já que o animal é transmissor da doença Aujeszky, conhecida como pseudo-raiva. A doença de origem viral acomete os suínos e causa o comprometimento do sistema nervoso dos animais.