Menu
Busca sexta, 14 de junho de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
24º
SOJA

Preços da saca sobem em grande parte do Brasil

A movimentação do mercado segue melhor do que na semana anterior e a previsão ainda é de alta nos preços

25 agosto 2022 - 07h58Por Canal Rural

A quarta-feira (24) foi de preços mistos no mercado brasileiro de soja, diante da volatilidade de Chicago. A movimentação segue melhor do que na semana anterior, mas envolvendo apenas negócios pontuais.

Por conta disso, em Passo Fundo (RS), a saca de soja de 60 quilos subiu de R$ 185 para R$ 186 Ao mesmo tempo, na região das Missões (RS), a cotação avançou de R$ 183 para R$ 185. Já no Porto de Rio Grande (RS), o preço subiu de R$ 191 para R$ 192.

Simultaneamente, em Cascavel (PR) o preço passou de R$ 186,50 para R$ 187 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca subiu de R$ 193 para R$ 193,50. Já em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 171,50 para R$ 174, e em Dourados (MS), a cotação caiu de R$ 177 para R$ 176. Por fim, para Rio Verde (GO), a saca desvalorizou de R$ 172 para R$ 171.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quarta-feira com preços em baixa. Após duas sessões de forte alta, o mercado sucumbiu a um movimento de realização de lucros, em meio a um cenário fundamental ainda altista.

Ainda seguem no foco do mercado as preocupações com o potencial produtivo da safra dos Estados Unidos e os sinais de demanda aquecida. As primeiras sinalizações da crop tour do Pro Farmer indicam rendimentos abaixo dos anos anteriores. Na segunda, o Departamento de Agricultura americano já havia apontado piora nas condições das lavouras americanas.

O USDA anunciou hoje a venda de 517 mil toneladas de soja em grão para a China por parte de exportadores privados. Amanhã, o Departamento vai divulgar o resultado dos embarques semanais. Nesse meio tempo, a aposta do mercado é em um número entre 300 mil e 1,25 milhão de toneladas.

Dessa maneira, os contratos da soja em grão com entrega em setembro fecharam com baixa de 6 centavos ou 0,38% a US$ 15,60 3/4 por bushel. Já a posição novembro teve cotação de US$ 14,57 por bushel, com perda de 4 centavos de dólar ou 0,27%

Além disso, nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com alta de US$ 2,10 ou 0,49% a US$ 429,30 por tonelada. Por fim, no óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 65,98 centavos de dólar, com perda de 0,94 centavo ou 1,4%.