Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
23º
SOJA

Preços da saca no Brasil registram poucas oscilações, em dia lento

Os preços da soja oscilaram entre estáveis e mais altos nesta sexta-feira (19) no Brasil, em mais um dia de poucos negócios

22 agosto 2022 - 07h57Por Canal Rural

Os preços da soja oscilaram entre estáveis e mais altos nesta sexta-feira (19) no Brasil, em mais um dia de poucos negócios. A volatilidade de Chicago e do dólar prejudicou a comercialização. Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 183,50. Na região das Missões, a cotação permaneceu em R$ 183. No Porto de Rio Grande, o preço subiu de R$ 189 para R$
189,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço passou de R$ 180 para R$ 180,50. No porto de Paranaguá (PR), a saca subiu de R$ 189,50 para R$ 190. Em Rondonópolis (MT), a saca avançou de R$ 171 para R$ 171,50. Em Dourados (MS), a cotação aumentou de R$ 175 para R$ 176. Em Rio Verde (GO), a saca ficou em R$ 168.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a sexta-feira com preços em baixa, ampliando as perdas acumuladas ao longo da semana. O mercado voltou a ser pressionado pela previsão de clima favorável para o desenvolvimento das lavouras dos Estados Unidos.

O comportamento do clima nos últimos dias reforçou o sentimento de uma boa safra americana, dando base para a inesperada previsão de aumento da estimativa de produção do Departamento de Agricultura Norte-Americano, USDA, no relatório da semana anterior. Para a próxima semana, as atenções se voltam para a crop tour da Pro Farmer, tradicional visita às principais regiões produtoras americanas.

Na sexta, a expedição chega ao final e divulga suas projeções de rendimento e safra. As perdas de hoje foram limitadas pelos sinais de boa demanda pela soja americana. O destaque foi o número de embarques semanais americanos, que superou as previsões e marcou grande presença da China na ponta compradora.

Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam com baixa de 1,25 centavo ou 0,08% a US$ 14,04 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 14,10 3/4 por bushel, com perda de 0,750 centavo de dólar ou 0,05%.

Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com baixa de US$ 5,60 ou 1,37% a US$ 402,30 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 65,70 centavos de dólar, com ganho de 1,43 centavo ou 2,22%.