Menu
Busca terça, 23 de abril de 2024
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
Previsão do tempo
22º
Mercado de grãos

Preço internacional do trigo dispara com saída da Rússia de acordo

Na bolsa de Chicago, cotações do cereal, subiam de US$ 0,35 a US$ 0,45 cents por bushel. Milho e soja acompanham e também operam em alta

31 outubro 2022 - 08h59Por Revista Globo Rural
Preço internacional do trigo dispara com saída da Rússia de acordo

O preço internacional do trigo começou a semana em forte alta na Bolsa de Chicago (EUA), com a saída da Rússia do acordo de exportação de grãos da Ucrânia trazendo incerteza ao mercado. As altas nos principais contratos variavam de US$ 0,35 a US$ 0,45 cents, a depender do vencimento, por volta de 8h30, com os papeis mais curtos voltando a ficar próximos de US$ 9 por bushel.

O vencimento para dezembro de 2022 subia US$ 0,45 e operava a US$ 8,7450 por bushel. Março de 2023 era cotado a US$ 8,92 (+US$ 0,43) e maio de 2023 estava cotado a US$ 9,01 por bushel (+US$ 0,41).

No sábado, a Rússia anunciou que estava se retirando do acordo fechado na Turquia para garantir as exportações de grãos da Ucrânia pelas rotas do Mar Negro. A decisão foi criticada pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e por lideranças da União Europeia e acentuou as preocupações com os preços globais de alimentos e com a segurança alimentar.

Ao anunciar sua saída, o governo de Vladimir Putin informou ter cerca de 500 mil toneladas de grãos para embarcar no curto prazo e compensar a falta dos produtos originados na Ucrânia. Enquanto isso, a Organização das Nações Unidas (ONU) tentava encontrar uma solução para salvar o acordo e evitar um novo ciclo de alta de preços de commodities agrícolas no mercado internacionais.

Pelo menos até o momento, o cenário de incerteza tem ditado o ritmo dos negócios no mercado de grão, na Bolsa de Chicago. Por volta de 8h30, o milho para dezembro de 2022 operava em alta de US$ 0,15, cotado a US$ 6,96 por bushel. Março de 2023 subia US$ 0,14 e era cotado a US$ 7,01. E maio de 2023 subia US$ 0,13 e era cotado a US$ 6,99.

Além das incertezas no comércio global, os operadores de mercado em Chicago olham atentamente para os mapas meteorológicos e os efeitos que as condições climáticas podem ter sobre a safra de soja dos Estados Unidos, em fase de colheita, e a da América do Sul, especialmente, a do Brasil, que está sendo plantada. Seguindo a tendência, a soja também subia no início da manhã.

Por volta das 8h30, a soja operava em alta nos principais contratos, com novembro de 2022 negociado a US$ 13,97 por bushel (+0,0975), janeiro de 2023 cotado a US$ 14,06 por bushel (+US$ 0,057) e março de 2023 a US$ 14,13 por bushel (+US$ 0,045).