Menu
Busca quinta, 24 de setembro de 2020
Busca
(67) 3345-4200
Campo Grande
34ºmax
20ºmin
Notícias

Preço da carne varia até 166% em Dourados

22 agosto 2011 - 11h50Por Diario MS

O preço médio da carne ao consumidor aumentou em 4,6% em três meses em Dourados. O percentual de aumento foi constatado em pesquisa realizada pelo Procon de Dourados, na semana passada. A coleta de preço da carne bovina, suína, aves e ovinos foi feita em 15 estabelecimentos comerciais do município, sendo 10 supermercados e 5 açougues.

No entanto, segundo aponta a pesquisa, a variação entre o menor e o maior preço chega a 60% de um estabelecimento para outro. O lombo suíno apresenta variação de 148,75% e o peito de frango congelado de 139,55%. Já o preço do frango congelado existe a diferença de 166,89%. A menor variação de preço encontrada na pesquisa foi de 21,44% na maminha.

De acordo com Antonio Bitencurtt, proprietário de um dos açougues pesquisados, o aumento de preços se deu devido às últimas geadas ocorridas no Estado que prejudicou consideravelmente às pastagens. Ele afirma que neste período é natural que as vendas tenham aumento de preço, principalmente na carne de primeira.

O empresário ressalta que o consumidor deve observar a qualidade dos produtos nos balcões, como a cor do produto antes da compra, as condições de conservação nos estabelecimentos. Para a comerciante Docélia Postaro, consumidor deve buscar melhores preços, porém a qualidade do produto é fundamental. “O cliente precisa estar atento às condições de higiene do açougue ou supermercado ao comprar a carne”, observa.

Para o atendente Sérgio Albuquerque, uma das dicas para economizar na hora de comprar a carne é observar dias de promoções e escolher os cortes mais baratos. “Geralmente em alguns estabelecimentos existe um dia fixo de promoção, isto ajuda na economia na hora de fechar o orçamento no final do mês”, comentou.

O consumidor que desejar mais informações sobre a pesquisa pode entrar em contato com o Procon, localizado na Rua Joaquim Teixeira Alves, 772, ou através dos telefones 151 e 3411-7754.